Em Praga, um dos berços do futebol da Europa continental viveu nesta noite de quinta-feira, 14, um dos momentos mais espetaculares da história da Liga Europa, desde sua reformulação. O Slavia repetiu o bom desempenho da ida, repetiu o empate em 2 a 2 contra o multicampeão da competição Sevilla, e na prorrogação, não se entregou após ficar em desvantagem e venceu de virada na prorrogação.

Tudo começou aos 13 minutos, quando em jogada de escanteio, o zagueiro camaronês Ngadeu Ngadjui conseguiu empurrar a bola para a rede. O Sevilla passou então a ditar o ritmo do jogo, tendo muito mais a bola, chegando a ficar com 62% de posse, e rondando a área adversária por toda a primeira etapa. A insistência do Sevilla surtiu efeito e o goleiro Kolar cometeu pênalti claríssimo. Ben Yedder cobrou e igualou o placar. Mas para o Sevilla, ainda era necessário marcar ao menos mais um gol.

Mal começou o segundo tempo e foi a vez do Sevilla cometer uma penalidade máxima, com Jesús Navas. Tomás Soucek converteu e colocou o Slavia novamente em vantagem. Não demorou muito e aos 8 minutos o Sevilla se recuperou e colocou a eliminatória novamente em pé de igualdade. A bola ficou rebatendo pelo alto após jogada de escanteio a favor do time espanhol e sobrou alta para El Haddadi, que não hesitou e acertou um chute espetacular de canhota. Um gol impressionante, que fez a partida ser decidida na prorrogação.

No tempo extra, com apenas sete minutos, Franco Vazquez completou de cabeça levantamento de Quincy Promes, deixando o Sevilla pela primeira vez em vantagem no confronto. Mas o time espanhol não conseguiu segurar a dianteira, e apenas três minutos depois Van Buren arrancou outro empate. O jogo virou uma guerra de nervos, mas se encaminhava para a decisão nos pênaltis. Quando o relógio já chegava aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação, depois de uma cobrança de falta do Slavia, a bola sobrou na grande área e o que se viu lembro bastante os primórdios do futebol, com os jogadores de ambos os times amontoados atrás da bola. Olayinka consegue dar um passe para o centro da área e Ibrahim Traoré finaliza. Kjaer em cima da linha tenta afastar, mas não consegue evitar o inevitável. O improvável. O Slavia conquistou uma classificação inesperada.

Com um elenco formado majoritariamente por atletas locais, o Slavia recoloca o futebol checo entre os oito melhores da Liga Europa, o  que não acontecia desde 2015-16, quando o rival Sparta caiu diante do Villarreal.