Nem estamos em época de Data Fifa e, mesmo assim, a tabela das Eliminatórias da América do Sul sofreu uma grande reviravolta nesta terça. A Fifa anunciou a punição à Bolívia pela escalação de Nelson Cabrera, inelegível segundo as regras da entidade. Nascido no Paraguai, o zagueiro do Bolívar não cumpriu todos os requisitos para a naturalização como boliviano. Graças ao erro, Peru e Chile foram premiados com a vitória por 3 a 0 nos jogos em que Cabrera esteve em campo em setembro. O que, no fim das contas, é péssimo para a Argentina: o time de Edgardo Bauza caiu para a sexta colocação, ultrapassado pelos chilenos.

Dentro de campo, a Bolívia havia arrancado quatro pontos nestes dois jogos. Empatou com o Chile por 0 a 0 em Santiago, enquanto bateu o Peru por 2 a 0 em La Paz. Na tabela geral, os chilenos agora aparecem em quinto, com 16 pontos, a mesma quantidade da Argentina, mas com vantagem no número de gols marcados. Além disso, estão a um ponto de Equador e Colômbia, logo acima na classificação. O Peru, por sua vez, não melhora tanto assim sua colocação. A equipe permanece em oitavo, agora com 11 pontos, quatro abaixo do Paraguai, sétimo.

A Bolívia, entretanto, promete recorrer da decisão da Fifa. “Esta é uma medida absolutamente injusta e irresponsável da Fifa ou de seu Tribunal de Disciplina Esportiva. Vamos iniciar as ações legais em diferentes frentes”, declarou Rolando López, presidente da federação local. Porém, nos bastidores, discute-se uma renúncia coletiva dos dirigentes da entidade, por um erro que consideram inadmissível.

Ao que parece, muita água ainda deve rolar pelo episódio. E isso deve tornar ainda mais apertada a disputa pelas quatro vagas diretas na Copa do Mundo de 2018.