O Borussia Dortmund lidera a Bundesliga com todos os méritos e faz uma excelente campanha neste primeiro turno. O desempenho dominante, entretanto, não significa que tudo é perfeito ao time de Lucien Favre. Nos últimos jogos, os aurinegros não foram contundentes na hora de matar os jogos. Todas as vezes, ainda assim, a sorte sorria. Até que nesta terça-feira ela virasse as costas aos primeiros colocados, dentro da Merkur Spiel-Arena. O Fortuna Düsseldorf possui uma das piores defesas do campeonato e deve lutar contra o rebaixamento em seu retorno à primeira divisão. Apesar disso, já fez alguns bons jogos nesta campanha e, nesta noite, mostrou o seu melhor para quebrar a invencibilidade do BVB no Campeonato Alemão. Em atuação exemplar, entre a vibração na defesa e a agressividade no ataque, os alvirrubros não controlaram a posse de bola, mas sempre tiveram controle do jogo. Saem com uma enorme vitória por 2 a 1, que os tira da zona de rebaixamento.

Lucien Favre optou por rodar alguns titulares no compromisso em Düsseldorf. Jadon Sancho e Achraf Hakimi começaram no banco de reservas. E desde os primeiros minutos, o Fortuna deixou claro que não seria uma partida fácil. Os alvirrubros atuavam com muita energia e criaram as primeiras chances de gol. Que o Dortmund tivesse mais posse de bola, não conseguia arrematar, muito bem travado pela defesa da casa. Além disso, os oponentes eram mais incisivos nos contragolpes e sempre levavam perigo à meta de Roman Bürki.

Aos 16 minutos, o grito de gol do Borussia Dortmund ficou entalado em uma de suas raras chegadas. Marco Reus até balançou as redes, mas Mario Götze saiu da bola em posição de impedimento e o tento foi anulado pela interferência. Os lamentos dos aurinegros seriam maiores. Aos 22 minutos, o Fortuna abriu o placar. Foi uma estocada perfeita, em que Kevin Stöger lançou magistralmente e Dodi Lukebakio arrancou para definir, tirando do alcance de Bürki. Vantagem merecida aos alvirrubros. Na sequência do primeiro tempo, os aurinegros seguiram com sua posse de bola improdutiva, limitados a um chute de Mario Götze que Michael Rensing pegou. Enquanto isso, os anfitriões pareciam ganhar todas as divididas e só não ampliaram porque Takashi Usami perdeu uma chance claríssima dentro da pequena área.

Na volta do intervalo, esperava-se uma postura mais agressiva do Dortmund. O que se viu? O segundo gol do Fortuna Düsseldorf, aos 11 minutos, digno se ser incluído entre os mais bonitos desta Bundesliga. Jean Zimmer recebeu a bola no bico da grande área e desceu a madeirada, em míssil cruzado que morreu no ângulo do impotente Bürki. A diferença, enfim, levou Favre a aumentar o poderio de seu ataque. Tirou Jacob Bruun Larsen e Thomas Delaney, mandando para campo Paco Alcácer e Jadon Sancho. Além disso, recuou Götze, iniciando a armação ao lado de Axel Witsel.

Fato é que, mesmo com os reforços no ataque, o Dortmund não era tão ameaçador. O Fortuna fazia um trabalho excelente para trancar os espaços e bloquear os chutes. Stöger, inclusive, ficou próximo de anotar o terceiro aos anfitriões. Os últimos suspiros dos aurinegros só vieram aos 36. Lukasz Piszczek fez grande jogada pelo lado direito e cruzou para Alcácer cumprimentar de cabeça. Dava esperanças para que os visitantes arrancassem o empate. No entanto, pouco se notou o esforço da equipe, contida a espasmos. Os alvirrubros comemoraram um resultado, além de emblemático, motivador.

Se o Fortuna Düsseldorf continuar atuando desta maneira, pode acreditar em sua permanência na primeira divisão. A exibição contra o Dortmund exige grande concentração, mas representa o potencial dos alvirrubros. Até o momento, além de quebrar a invencibilidade dos líderes, também venceram Hoffenheim e Hertha Berlim, enquanto empataram no épico 3 a 3 com o Bayern de Munique. Os 7 a 1 sofridos ante do Eintracht Frankfurt, em dia terrível de sua defesa, parecem muito mais um ponto fora da curva. A vitória desta terça tira a equipe da zona de rebaixamento. Chega aos 15 pontos, no 15° lugar. São três vitórias e um empate nas últimas seis rodadas.

O Borussia Dortmund, por sua vez, bota as barbas de molho. Se já é campeão do primeiro turno e possui uma vantagem confortável, a longa maratona pela frente em 2019 não permite descuidos. Muito menos tropeços contra equipes fracas. Este é o momento em que o time de Lucien Favre dá sinais de desgaste, com o ataque econômico nas últimas rodadas. O treinador precisa também pensar em suas alternativas, para não depender tanto das individualidades quando elas não servirem para destrancar defesas precavidas. A equipe segue com 39 pontos, agora seis acima do Borussia Mönchengladbach, que fez sua parte ao bater o Nuremberg mais cedo.