Final da 26ª rodada, chega-se a um marco interessante no Campeonato Brasileiro. Já foram 19 rodadas, um turno completo, desde que a Libertadores acabou. Ou seja, um turno inteiro em que praticamente todos os times (exceções são Palmeiras e Coritiba, que ainda ficaram desfalcados por mais uma partida) estão jogando sem dividir atenções com outro campeonato. Ou seja, permite ver como poderia estar a classificação se alguns clubes não tivessem dado de ombros para as rodadas iniciais do Brasileirão pensando em Libertadores ou Copa do Brasil.

De fato, as rodadas iniciais têm influência nas campanhas de Corinthians e Santos, semifinalistas da Libertadores que perderam muitos pontos enquanto pouparam titulares nas rodadas iniciais. No entanto, o maior prejudicado não é o alvinegro da capital, tido como um dos melhores times do País no momento, mas o da Baixada.

Veja como seria a classificação das últimas 19 rodadas, já considerando critérios de desempate:

Pos Clube

Pts

1 Fluminense

41

2 Grêmio

37

3 Atlético Mineiro*

36

4 Corinthians

32

5 São Paulo

30

6 Santos

28

7 Internacional

28

8 Botafogo

28

9 Vasco

28

10 Ponte Preta

25

11 Náutico

24

12 Portuguesa

24

13 Bahia

24

14 Coritiba

21

15 Cruzeiro

21

16 Flamengo*

19

17 Sport

19

18 Palmeiras

18

19 Atlético Goianiense

18

20 Figueirense

15

* Atlético Mineiro e Flamengo têm um jogo a menos

O Corinthians tem disputado o Brasileirão com dedicação razoável desde que terminou sua participação na Libertadores, e a quarta posição nessa classificação alternativa mostra isso. É uma equipe que mostrou força ao empatar com o líder Fluminense fora de casa e vencer Atlético Mineiro e Grêmio em casa.

No entanto, a subida na classificação alternativa não faria diferença na vida corintiana. O time estaria na zona de classificação para a Libertadores, mas a vaga já está assegurada. Pode-se pensar que o Alvinegro teria alguns pontos a mais (por exemplo, usou os reservas contra Sport e Figueirense, e não ganhou nenhum desses encontros), mas a distância para o Fluminense seria razoável. E, com o Mundial em vista, a briga pelo título só valeria aos corintianos se fosse para administrar uma vantagem nas rodadas finais, e não para perseguir alguém e se desgastar nos clássicos contra Santos (37ª rodada) e São Paulo (38ª).

Para o Santos, as rodadas iniciais foram mais duras. Nas últimas 19 rodadas, o Peixe não convence, fez partidas medíocres (como neste sábado, contra a Portuguesa), perdeu jogadores para a Seleção e depende absurdamente de Neymar. Ainda assim, fez 28 pontos e estaria a dois da zona de classificação para a Libertadores (com o Corinthians em quarto lugar, o quinto se classificaria). Estaria em uma disputa em que hoje não está, e Muricy não falaria em entrevista que já pensa em 2013.

Isso não é culpa da Libertadores, óbvio. É do calendário brasileiro, em primeira instância, mas do próprio clube também. Ao botar todas as fichas em uma competição, pode criar uma situação irrecuperável em outra. Talvez, no futuro, priorizar um torneio signifique dosar energia no outro, e não usar times inteiramente reservas.

PS.: no caminho oposto, o time que mais se beneficia das rodadas iniciais é o Cruzeiro. Nesse turno pós-Libertadores, a Raposa fez apenas 21 pontos e estaria lutando para fugir do rebaixamento.