O Grêmio possui uma identidade de futebol muito bem definida desde a chegada de Renato Portaluppi ao seu comando. O Tricolor mudou várias peças nos últimos três anos, mas continua a praticar um futebol ofensivo e de qualidade no trato com a bola. Nesta quinta, contra um Avaí que vinha ressurgindo no Brasileirão, os gremistas viveram uma de suas atuações mais arrasadoras nos últimos tempos. Golearam por 6 a 1, com quatro gols apenas no primeiro tempo. E os toques envolventes abriram caminhos no baile aplicado pelos anfitriões, para delírio da torcida dentro da Arena.

Desde os primeiros minutos, o Grêmio se valeu do talento refinado de seus homens de frente. Algo que se notou desde o primeiro gol, aos quatro minutos. Everton centralizou e partiu para cima da defesa ao tabelar com Tardelli. O goleiro Vladimir até conseguiu defender o chute do Cebolinha, mas soltou a carne e permitiu que o veterano marcasse no rebote. Seria apenas a prévia do show. As bolas aéreas também eram um caminho e, depois de ficar no quase, David Braz ampliou de cabeça aos 13.

Depois, o Grêmio seguiu no controle, mas com um pouco mais de dificuldade de romper a defesa, e o Avaí até arriscou sua primeira finalização, em chute de longe. Porém, os tricolores voltaram a ser letais nos minutos finais, especialmente graças a um personagem principal: Luan. O craque da Libertadores 2017 ainda não reencontrou o seu melhor futebol, mas ganha sequência diante da lesão de Jean Pyerre. E o atacante jogou como se espera nesta quinta, participando bastante, com movimentações inteligentes e passes incisivos. Seria dele o terceiro gol, aos 37. Recebeu na entrada da área e bateu no canto, com um tapa tirando do goleiro.

E quando o Avaí teve uma sequência de ataques, forçando até mesmo a primeira defesa de Paulo Victor, o Grêmio arrematou a contagem no primeiro tempo da maneira mais sublime. Aos 45, anotou daqueles gols para ver e rever várias vezes, por toda a qualidade da jogada. A bola passou de pé em pé, de passe em passe. Luciano recebeu no meio e deu um toque de primeira para Luan, que devolveu de letra. Então, Luciano acertaria uma bomba no canto, na veia, sem chances para Vladimir. É um bom resumo do que o time de Renato Portaluppi pode fazer.

No segundo tempo, depois de um início mais relaxado, o Grêmio voltou a apertar a partir dos dez minutos. Chegou ao quinto gol quando o relógio marcava 18. A zaga do Avaí conseguiu afastar o ataque só no primeiro momento, mas a sobra ficou com Cortez, que arriscou o chute. A bola ainda desviou em Betão antes de entrar. Já o sexto gol, aos 24, teria a participação de dois substitutos. Léo Moura deu o passe para Everton, que descolou um cruzamento magistral na cabeça de André, escorando na pequena área. Na sequência, a partida se tornou uma protocolar espera pelo apito final. Ainda assim, os catarinenses descontaram aos 40, numa bela cobrança de falta de Gegê. Nada que diminuísse o recital gremista na Arena.

O Grêmio atravessa um bom momento no Brasileirão, reerguendo-se depois da eliminação para o Athletico Paranaense na semifinal da Copa do Brasil. São quatro vitórias desde então, com 16 gols marcados e apenas um sofrido. A série de bons resultados é importante não apenas para colocar os tricolores em uma situação melhor na competição, mas também para motivar a equipe antes das semifinais da Copa Libertadores contra o Flamengo. A escalada na Série A, de qualquer maneira, é concreta. O time assume o sétimo lugar, com 34 pontos, a dois de distância do G-4 – tendo logo à frente alguns concorrentes que não vivem boa fase. Dá para apostar no crescimento gremista neste segundo turno.

Classificações Sofascore Resultados