Dividida em duas partes, com uma Copa do Mundo e uma janela de transferências no meio do caminho, a Libertadores será diferente a partir da sua fase de mata-mata. Clubes classificados sofreram com perdas de jogadores ou se encorparam com grandes contratações. A seguir, vamos destacar um reforço de cada time das oitavas de final, que começam nesta terça-feira.

Racing

Gustavo Bou, em sua primeira passagem pelo Racing (Foto: Getty Images)

O Racing terá que lidar com a dura ausência de Lautaro Martínez, transferido para a Internazionale. Para substituí-lo, trouxe um nome de peso para a torcida: repatriou o atacante Gustavo Bou, que somou 45 gols em 100 partidas na sua primeira passagem pelo Cilindro. Foi emprestado por uma temporada pelo Tijuana, do México, justamente o time que tirou o atacante da Academia, ano passado.

River Plate

Gallardo, técnico do River (Foto: Getty Images)

Segundo o técnico Marcelo Gallardo, o maior reforço do River Plate, que não contratou ninguém durante a janela, é a juventude. “Não fomos ao mercado porque não tivemos necessidade. Temos a equipe confirmada desde o início do ano e queríamos somar os jovens que estão crescendo. O que havia no futebol argentino, em condições que poderíamos aproveitar, não superava, na minha opinião, a expectativa do que tenho dentro da minha equipe”, explicou. A saída de Marcelo Saracchi para o RB Leipzig deixou um vácuo na lateral esquerda, e Gallardo buscou a solução dentro do clube e da sua própria família: inscreveu o filho Nahuel entre os 30 da Libertadores.

Independiente

Pablo Hernández, no Celta (Foto: Getty Images)

Argentino de nascimento, mas chileno no futebol, Pablo Hernández passou os últimos quatro anos defendendo o Celta de Vigo, um dos bons times do Campeonato Espanhol em tempos recentes. Somou 149 partidas pelo clube e foi bastante utilizado por Juan Antonio Pizzo na Copa das Confederações de 2017. Aos 31 anos, retorna para a Argentina, onde começou carreira no Atlético Tucumán, para reforçar o elenco do Independiente.

Santos

Bryan Ruiz, do Santos

Não dá para criticar o Santos por falta de criatividade. Tanto os reforços confirmados quanto os especulados são jogadores estrangeiros que poucos clubes brasileiros buscariam. O principal foi o costarriquenho Bryan Ruiz, experiente jogador da sua seleção nacional e com boas passagens na Europa, por Fulham e por Sporting, seu último clube no continente. Chega para tentar reforçar o meio-campo do clube paulista, um dos gargalos do primeiro semestre, embora não seja um armador.

Estudiantes

O Estudiantes se mexeu muito pouco durante a janela. Contratou apenas dois jogadores: o defensor Fernando Evangelista e o atacante Lucas Albertengo, que pertence ao Independiente e estava emprestado ao Monterrey, do México, onde fez apenas um gol em seis partidas disputadas. Chega a La Plata por empréstimo, com opção de compra.

Grêmio

Marinho, do Grêmio

Depois de um Campeonato Brasileiro muito bom em 2016, quando marcou 12 vezes pelo Vitória, o atacante Marinho foi vendido para o Changchun Yatai, da China. Um ano e meio enchendo o bolso de dinheiro foi o bastante para jogador, que retornou para o futebol brasileiro para defender o atual campeão da Libertadores. Será uma peça importante para fortalecer o time e o elenco do Grêmio, já que Renato Gaúcho adora rodar os seus jogadores.

Atlético Tucumán

Juan Mercier, no San Lorenzo (Foto: Getty Images)

O Atlético Tucumán estreou em Libertadores ano passado e, na atual edição, classificou-se para as oitavas de final pela primeira vez em sua história. Logo, buscou a experiência que lhe falta no mercado de transferências. Aproveitou o fim do contrato de Juan Mercier com o San Lorenzo e adquiriu os serviços do volante de 38 anos, campeão sul-americano com o time de Almagro em 2014.

Atlético Nacional

Carlos Rivas foi contratado pelo Orlando City, como um dos jogadores designados do clube, apesar de na época ter apenas 20 anos. Havia começado carreira no Once Caldas e se destacado no Deportivo Cali. Foram três anos modestos na Flórida, com apenas oito gols em 78 partidas. Passou pelo New York Red Bulls, também da Major League Soccer, antes de voltar à Colômbia para tentar encontrar o caminho das redes.

Colo-Colo

Barrios, do Grêmio (Foto: Getty Images)

Após uma carreira de relativo sucesso, passando pelo Borussia Dortmund e conquistando títulos em Palmeiras e Grêmio, Lucas Barrios começou o circuito de volta para casa. A primeira tentativa foi no começo do ano, no Argentino Juniors, clube em que foi revelado. A nostalgia durou apenas seis meses. Em junho, o atacante de 33 anos rescindiu o seu contrato e se especulou um retorno ao Brasil. Mas Barrios acertou com o Colo-Colo para tentar reviver o melhor momento da sua carreira, antes de se transferir para a Europa.

Corinthians

Foi um mercado de reposição para o Corinthians. Com a saída de Sidcley, para o Dínamo de Kiev, o clube foi buscar Danilo Avelar, emprestado pelo Torino e com uma vasta experiência no futebol europeu: revelado pelo Rio Claro, o jogador de 29 anos já defende o Karpaty Lviv, da Ucrânia, o Schalke 04, o Cagliari e o Amiens. Por enquanto, tem jogado bem no seu retorno ao Brasil.

Cerro Porteño

Jorge Benítez surgiu no Guaraní, do seu país natal Paraguai, e tentou a sorte na Europa com a camisa do Olympiacos. Ficou entre 2014 e 2016 na Grécia, com apenas nove gols em 27 partidas. Em seguida, tentou a sorte no México. Teve relativo sucesso pelo Cruz Azul antes de acertar com o Monterrey. Não conseguiu brilhar e concretizou seu retorno para casa para reforçar o ataque do Cerro Porteño.

Palmeiras

Desfalcado na defesa desde a saída de Yerri Mina para o Barcelona, o Palmeiras apostou novamente em um zagueiro sul-americano. Trouxe Gustavo Gómez, paraguaio que se destacou no Lanús e foi para o Milan, em 2016, mas teve poucas oportunidades no futebol italiano. Somou apenas dez minutos na última temporada, mas foi parceiro de zaga de Balbuena na seleção paraguaia, para pelo menos ganhar algum ritmo de jogo.

Flamengo

Vitinho apresentado no Flamengo (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

O Flamengo foi à Rússia tentar repor a saída de Vinicius Júnior. Encontrou o atacante Vitinho, que se destacou no Botafogo, antes de acertar com o CSKA Moscou, e em uma passagem de empréstimo pelo Internacional. O jogador de 24 anos pode não ser tão talentoso quanto a nova promessa do Real Madrid, mas já possui uma boa coleção de títulos e é mais experiente.

Cruzeiro

Hernán Barcos, o Pirata, está de volta ao futebol brasileiro

A discussão do Cruzeiro no primeiro semestre girou muito em torno de um centroavante. Com Fred machucado, Mano Menezes tentou armar sua equipe em algumas partidas sem o homem de referência e não deu muito certo. Sassá encontrou-se na posição, mas se machucou e fez a Raposa ir atrás de mais um camisa 9. Trouxe Hernán Barcos, da LDU. O experiente centroavante já mostrou presença de área em suas primeiras partidas de azul, mas ainda precisa afinar a pontaria.

Boca Juniors

Zárate, no Vélez

A ida de Mauro Zárate para o Boca Juniors foi polêmica. Ele retornou ao Vélez Sarsfield para uma terceira passagem, em janeiro, emprestado pelo Watford. Eram seus últimos seis meses de contrato com o clube inglês, e, ao fim desse período, havia um acordo de cavalheiros para que ele acertasse em definitivo com o Vélez. Na hora de colocar a tinta no papel, porém, Zárate anunciou que assinaria com o Boca. Causou uma certa revolta entre os torcedores do clube argentino que revelou o jogador que, na Europa, também teve passagens por Lazio, West Ham e Fiorentina.

Libertad

Édgar Benítez voltou para casa. O meia-esquerda começou no Libertad antes de passar a maior parte da sua carreira no México. Conquistou a Champions League da Concacaf pelo Pachuca, em 2009/10, e a Copa MX de 2016 com a camisa do Querétaro, seu último clube no país, e pelo qual não vinha atuando regularmente antes de acertar com os paraguaios. Aos 30 anos, com partidas pela seleção na Copa do Mundo de 2010 e na Copa América de 2015, Benítez traz bastante experiência para o seu time tentar passar pelo poderoso Boca Juniors nas oitavas de final.


Os comentários estão desativados.