Eram 19 minutos do segundo tempo. O Olimpia vencia o Atlético Mineiro por 1 a 0 e Cuca decidiu colocar Rosinei e Guilherme em campo. Eles entrariam no lugar de Luan, que não foi um substituto à altura de Bernard, e… Ronaldinho. Impossível não ignorar o impacto de ver o melhor jogador do mundo de 2004 e 05, um dos craques deste Atlético Mineiro, deixando o gramado com a partida em andamento.

Após a partida, Cuca tentou mostrar que tirar Ronaldinho é algo natural. “Ele é um jogador como qualquer outro do elenco, e não estava bem”. E ele tem razão, sobretudo na segunda parte. Ronaldinho foi mal, sobretudo porque não conseguiu armar o jogo. Algo que fica nítido analisando as estatísticas da partida.

Ronaldinho foi o jogador com pior aproveitamento de passes do Atlético. É normal um jogador ofensivo errar mais que um de defesa, pois atua em um setor do campo com mais adversários na marcação. Mas o camisa 10 ficou atrás até de jogadores que ocupam uma área parecida com a sua. Ele errou 5 passes e acertou 14. Diego Tardelli também errou 5, mas acertou o sobro, 28. Luan errou 3 de 15 e Jô, 4 de 20.

Não seria um problema grande se os passes certos fossem decisivos. Não foi o caso. Apenas 4 dos 14 tiveram como destino Diego Tardelli ou Jô. Enquanto isso, Josué e Marcos Rocha, juntos, receberam 7 bolas de Ronaldinho.

O craque também não foi um jogador que causou muitas dificuldades à defesa olimpista. Sofreu apenas uma falta, um terço de Luan, jogador que fazia função tática parecida do outro lado do campo.