O futebol mudou muito ao longo dos últimos anos. O diferencial do esporte, porém, sempre será o mesmo. O improviso é uma arte e ajuda a abrir caminhos dentro de campo, mesmo que as marcações fiquem tão cerradas, mesmo que a intensidade do jogo tolha a sua malemolência. Um jogador que sabe driblar com eficiência ou dar um passe que ninguém espera vai prevalecer, se adaptando também a essas transformações. Esse tipo de talento não se ensina, embora se desenvolva desde cedo. Basta um objeto que se assemelhe a uma bola, um mínimo de espaço para jogar e uma imaginação fértil pronta para criar.

É sobre essa arte que o mini-documentário “Improviso” fala. Em uma série especial de cinco episódios, o Goal Brasil tratará sobre a identidade do futebol brasileiro. Sobre as formas de jogar e de sentir o jogo. Aquilo que vai além do mundo de cifras, cristalizado pela tela da televisão ou pela distância do gramado. Em suma, sobre o futebol que se vive – e de maneira tão intensa por essas bandas, através de tanta gente que sonha com a bola. As histórias são ótimas, valorizadas pela belíssima produção. A narrativa passa pela várzea, pelo pátio da escola e pelo terrão para entender o contexto. Vale conferir: