Sem vencer o Campeonato Mexicano desde 2010, o Monterrey terá a chance de quebrar esse tabu. Passou pelo América, nas semifinais do torneio, e disputará a decisão contra León ou Pachuca. Depois de perder por 1 a 0, seu estádio lotou para assistir à partida de volta e certamente ninguém ficou decepcionado. Depois de algumas reviravoltas, o 4 a 2 foi selado apenas nos minutos finais.

LEIA MAIS: Morte ao futebol moderno? Acharam uma solução: La Cancha de Noé

Aos 27 minutos da primeira etapa, Edwin Cardona abriu o placar, com um chute de fora da área. O gol do colombiano era suficiente para classificar o Monterrey, que havia feito a melhor campanha na temporada regular. Rogelio Funes Mori, porém, ampliou a vantagem, após bela jogada de Carlos Sánchez.

O América não estava morto. Havia vencido o jogo de ida por 1 a 0, e caso marcasse, iria à final pelo gol marcado fora de casa. O técnico Ignacio Ambriz fez mudanças na equipe e colocou Michael Arroyo em campo. Ele foi às redes em uma cobrança de falta da entrada da área, aos 18 minutos do segundo tempo.

monterrey
A criançada chorou com a virada do Monterrey (Foto: Bruno Miotto)

O Monterrey voltou a ficar em vantagem com um golaço de Sánchez, que dominou o passe na entrada da área e soltou um míssil, no ângulo do goleiro Hugo González. Mas, em outra cobrança de falta, Arroyo descontou para o América, que mais uma vez passava à decisão, com a derrota por 3 a 2.

Eis que, a sete minutos do fim, o árbitro marcou pênalti em um toque de mão de Samudio, dentro da área, embora a bola tenha batido mais no ombro do jogador do América. Sem se importar com isso, Cardona executou a cobrança, fez 4 a 2 para o Monterrey e concretizou a incrível vitória dos Rayados, que valeu vaga na decisão do Campeonato Mexicano.