No último dia 13 de março, as autoridades britânicas publicaram o relatório final sobre o acidente aéreo que vitimou Emiliano Sala e o piloto David Ibbotson. Ao longo de quase 14 meses, a investigação realizou um trabalho minucioso para examinar os destroços do avião no Canal da Mancha e também para verificar os registros de contato sobre a aeronave. A conclusão apresentou uma série de problemas ao redor do voo, desde a falta de licença do piloto aos entraves na própria manutenção do monomotor.

Durante a última semana, o Aviões e Músicas publicou um interessante vídeo, detalhando as análises feitas pelo relatório e explicando melhor a quantidade de problemas que indicavam a falta de segurança naquele voo. A explicação é de Lito Sousa, especialista em segurança de voo e graduado em manutenção de aeronaves, com 30 anos de aviação comercial. Esclarece o tamanho do risco ao qual Sala terminou exposto.

A transferência de Emiliano Sala ainda resulta em uma briga judicial entre Cardiff City e Nantes. Em setembro, a Fifa determinou que o clube galês pagasse a primeira parcela da compra – equivalente a £5,3 milhões dos £15 milhões totais. O Cardiff se recusou, alegando que o atacante ainda não era oficialmente seu jogador, e levou o caso à Corte Arbitral do Esporte. A definição deverá sair durante os próximos meses.

O voo fretado de Sala havia sido fechado por Willie McKay, agente que participou da transferência. Ele alega que contatou outro piloto e não tinha quaisquer informações sobre a aeronave ou David Ibbotson. Além disso, o corpo de Ibbotson segue desaparecido. No início do ano, a filha do piloto iniciou uma campanha privada para tentar encontrar o pai, em financiamento coletivo que contou com a participação de jogadores profissionais.