Ricardo III teve um reinado muito curto. Foi soberano da Inglaterra entre 1483 e 1485 e morreu aos 32 anos na última batalha da Guerra das Rosas, uma disputa entre famílias nobres da nação pelo trono. Sua morte representou o fim da dinastia da Casa de York e abriu espaço para a família da atual rainha Elizabeth. Ricardo III, protagonista de uma peça de William Shakespeare, foi enterrado em Leicester, mas durante a reforma protestante, seu túmulo foi violado, e seus restos mortais, perdidos. Até que uma escavação arqueológica conseguisse recuperá-los, e em 26 de março de 2015, há exatamente um ano, a cidade na região central do país recebeu o seu segundo funeral.

LEIA MAIS: Na virada espetacular sobre a Alemanha, Inglaterra mostra que tem opções de sobra no ataque

Estiveram presentes alguns representantes da realeza britânica, como o Duque de Norfolk e a condessa de Wessex, além dos atores Benedict Cumberbatch, que será o Ricardo III em uma série de televisão, e Robert Lindsay, que fez esse papel no teatro durante muitos anos. Leicester, de repente, foi colocado no mapa da Inglaterra, com milhares de pessoas assistindo à cerimônia e se tornou um ponto turístico. O local que abriga os restos mortais de um dos reis da nação.

Nesse mesmo 26 de março, os jogadores do Leicester lambiam as feridas da derrota por 4 a 3 para o Tottenham, alguns dias antes, pela 29ª rodada da Premier League. No meio da data Fifa, a situação era complicadíssima. O time tinha 19 pontos e ocupava a lanterna da competição, a sete de escapar do rebaixamento. Essa derrota foi a sexta nas últimas oito partidas. O torcedor já começava a se resignar com mais uma temporada na Championship.

No entanto, da mesma maneira que os arqueólogos encontraram Ricardo III, o Leicester encontrou o seu futebol. Ganhou sete das últimas nove partidas e escapou do rebaixamento, o que já foi um grande feito. Mas o melhor ainda estaria por vir. Porque desde a cerimônia em que o povo inglês despediu-se, quase cinco séculos depois, de um dos seus reis, o Leicester perdeu apenas quatro partidas da Premier League.

Curiosamente, neste momento, ele se prepara para a reta final de um conto de fadas. Lidera o Campeonato Inglês, o mais rico do mundo, com cinco pontos de vantagem para o Tottenham, a sete rodadas do final. Só precisa de seis vitórias para garantir o título e, exatamente um ano depois de Leicester ganhar importância histórica, a cidade também pode ser reconhecida como o palco de uma das melhores histórias que o futebol proporcionou nos últimos tempos. Um agrado aos republicanos que não são exatamente fãs da monarquia inglesa.