A confusão entre Internazionale e Mauro Icardi segue causando consequências. O jogador perdeu a braçadeira de capitão em fevereiro e, desde então, não jogou mais pelo clube. O argentino declarou amor à Inter e questionou dirigentes por falta de respeito. O imbróglio se tornou sério e foi preciso inclusive mediação entre clube e jogador, que acabou reintegrado para o jogo contra o Genoa, na quarta-feira. Os Ultras da Inter, similares aos torcedores organizados no Brasil, emitiram comunicado em conjunto criticando o ex-capitão e pedindo a sua saída do clube. Apesar disso, o atacante foi relacionado e, segundo o técnico Luciano Spalletti, será titular depois do diretor esportivo Giuseppe Marotta resolver o problema.

“Depois de reunião interna, todos os grupos da Curva Norte unanimemente decidiram que o comportamento do camisa 9 nerazzurri não deve ser mais tolerado”, diz o comunicado divulgado pelos grupos de Ultras da Inter.

“A Curva Norte acredita que Icardi mostrou que ele não tem o caráter necessário, não apenas para ter a braçadeira de capitão, mas também para um vestiário unido”, continua o texto. “Com esse comunicado, nós convidamos a Inter a tomar as medidas necessárias o quanto antes for possível de retirá-lo de um elenco que não parece ter a menor intenção de compartilhar o caminho imediato com ele e com o futuro, colocando também nosso fim de temporada em risco”.

“Se classificar para a Champions League sem um projeto que coloque o conceito de grupo no coração, que Icardi claramente não pode fazer parte, significa apenas preparar o cenário para futuros fracassos”, diz ainda o texto das organizadas do clube. “Para nós, o valor do time deve vir antes de personalidades e daqueles que querem ser o centro das atenções da mídia”, continua o texto.

“Além disso, a posição da Curva Norte é que Icardi não é mais parte da Inter, e de agora em diante será tratado de acordo”, continuam as torcidas da Inter. “Em Gênova, vamos todos ficar juntos para construir um futuro juntos e carregamos nos nossos corações a única coisa que importa: a Inter!”.

Spalletti elogia fim da novela

Luciano Spalletti criticou a situação de precisar de mediação entre jogador e clube, dizendo que é humilhante ter que pedir para um jogador vestir a camisa da Inter. Nesta terça-feira, o treinador disse que quem conseguiu desatar o nó foi o dirigente Giuseppe Marotta. “O trabalho de Marotta foi decisivo para permitir que as partes se unissem de uma maneira real. Foi uma reunião que agora colocou Mauro em posição de ajudar a equipe”, disse o treinador. “Se a mediação é feita para ditar as condições, se torna mais complicado. No contexto do nosso time, o valor de Mauro é maior que o de Messi e Ronaldo juntos”.

“Contudo, ele não está sozinho porque em futebol você precisa de chuteiras e suor. Ninguém nasce vencedor, mas um ponto de referência era preciso para recomeçar. E o ponto está na mesa. Nós recomeçamos do terceiro lugar, com todo o nosso poder disponível, que nos permite lutar pelo nosso objetivo até o final da temporada”, explicou ainda Spalletti.

“Mauro tem a capacidade de levar o time à frente quando ele está. De fora, não. Nestes últimos treinamentos e sem mandar mensagens nas redes sociais, ele reconquistou o seu lugar no elenco”, contou o treinador. “Os torcedores estão certos em tomarem suas posições. Eles sabem como lidar com a situação. Ele treinou no domingo”, continuou Spalletti. “Ontem ele levou um trote dos companheiros, ele acredita que está no caminho certo”.

“Agora nós todos vamos trabalhar pelo bem da Inter. Nós temos que estar ao seu lado em cada momento. Enquanto eu estiver aqui, eu estarei do lado da Inter, o que é o clube, o time, os torcedores e eu mesmo um pouco, não apenas de um jogador”, afirmou o jogador. “Nós já recomeçamos porque nós fizemos do domingo o nosso recomeço, com Mauro mandando a mensagem certa para o time”.

“Para nós, ele é um jogador para seguir se ele estiver um metro à frente. Nós estamos mais fortes com ele agora. Quem quer que diga que estamos mais fracos está contra nós. O caso está fechado em todos os aspectos. Agora ele precisa treinar, suar, sentir o cheiro da grama e não falar por outras pessoas. Se não, ele não ganhará credibilidade diante da equipe. Após este incidente, Icardi está no time”, declarou ainda Spalletti.

“Ele irá começar o jogo. A cabeça conta mais que os músculos. Ele teve a reação certa. Ele irá jogar e ver se precisa decolar. Sua resposta irá mostrar a nós se ele pode jogar uma partida inteira”, afirmou ainda o treinador. Ele também disse que Icardi se desculpou com o time depois de domingo, quando a Inter perdeu para a Lazio. “Eu tive que dizer aquilo [que era uma humilhação a mediação] para defender o time. Ele trabalhou perfeitamente. Nosso departamento esportivo sabe disso também. Ele não foi relacionado e pagou o que tinha que pagar, do nosso ponto de vista. Agora nós precisamos tirar vantagem do trabalho de Marotta”.

A Inter enfrenta o Genoa fora de casa nesta quarta-feira, 16h (horário de Brasília). O time não terá Lautaro Martínez, que vinha sendo o substituto de Icardi, e está machucado, assim como o zagueiro Stefan de Vrij e o lateral direito Sime Vrsaljko, que talvez nem volte nesta temporada. A Inter tem 53 pontos e é atualmente terceira colocada da Serie A, dois pontos à frente do Milan, quarto, e 10 pontos atrás do Napoli, segundo. A Juventus lidera com 78 pontos, a caminho do seu oitavo título consecutivo.