A Uefa puniu o Atlético de Madrid nesta terça-feira. Os Colchoneros terão que disputar seus próximos dois jogos como mandante na Liga dos Campeões em campo neutro, devido ao comportamento violento e racista de sua torcida durante o jogo contra o Olympique de Marselha, no dia 1º.

De acordo com a entidade, o clube espanhol ainda terá o estádio Vicente Calderón suspenso por um jogo caso ocorra algum episódio semelhante nos próximos cinco anos. O Atlético de Madrid também foi multado em € 150 mil.

Para os jogos contra Liverpool (no dia 22) e PSV (em 26 de novembro), os Colchoneros devem atuar em um local distante pelo menos 300 quilômetros de Madri. O clube foi considerado culpado por ‘falta de organização e conduta imprópria de seus torcedores’.

“Houve imitações de macaco dirigidas para os jogadores negros do Olympique. Além disso, houve problemas com torcedores com algum tipo de deficiência, que compraram ingressos e não ficaram em locais com vista adequada. Todas estas ofensas constituem um imenso descaso à política da Uefa de respeito. A Uefa reforça a tolerância zero para o racismo e comportamento violento”, afirmou William Gaillard, porta-voz da Uefa.

Além das punições impostas ao clube, Javier Aguirre foi suspenso por duas partidas. O treinador foi punido por conta de seu comportamento durante o jogo contra o OM. Ele está fora dos confrontos contra o Liverpool nos diass 22 de outubro e 4 de novembro.

O Atlético de Madrid tem até o meio-dia desta sexta-feira para recorrer das punições.

A torcida do Liverpool não gostou de mudar seus planos para enfrentar os Colchoneros. “É uma decisão ridícula e em cima da hora. Provavelmente teremos de três a quatro mil pessoas que viajariam para Madri para o jogo. Os vôos já estavam reservados, bem como os hotéis. O que faremos agora? Acho que teremos duas opções: mudar o destino dos vôos ou arranjar alguma forma de transporte da torcida de Madri para o local onde for a partida. Mas quem fará isso? A Uefa? O clube? Os próprios torcedores nas agências de viagens? É lamentável”, disse Richie Pedder, presidente dos Torcedores do Liverpool, grupo que reúne simpatizantes dos Reds.

Gaillard afirmou que a Uefa 'está analisando a logística e vendo que tiop de ajuda poderá providenciar'.