Uefa oficializa adiamento da Eurocopa feminina para julho de 2022

Depois do adiamento da Eurocopa masculina para 2021, era apenas questão de tempo para que a Euro feminina também fosse empurrada mais pra frente. A confirmação oficial aconteceu nesta quinta-feira (23), com a Uefa publicando um comunicado em que afirma que o torneio será agora disputado em julho de 2022.

[foo_related_posts]

Inicialmente marcada para 2021, a Euro feminina acontecerá agora de 6 a 31 de julho de 2022, na Inglaterra, e a Uefa confirmou que as cidades-sede serão as mesmas previstas anteriormente. O estádio Old Trafford, do Manchester United, deverá receber o jogo de abertura, enquanto o Wembley será o palco da final.

No comunicado, Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, destacou que a instituição sempre teve em mente o impacto que o adiamento da Euro masculina teria sobre a competição feminina.

“Nós, cuidadosamente, consideramos todas as opções, com nosso comprometimento ao crescimento do futebol feminino na dianteira de nossas ideias. Ao mover a Euro feminina para o ano seguinte, estamos garantindo que nossa principal competição feminina seja o único grande torneio de futebol do verão, oferecendo-lhe o destaque que merece”, explicou o dirigente.

A mudança de datas se tornou ainda mais importante ao futebol feminino depois de os Jogos Olímpicos de Tóquio, previstos para este ano, também serem remarcados para 2021. É crucial ressaltar aqui que, diferentemente do futebol masculino, o feminino tem grande importância dentro da disputa das Olimpíadas, e um conflito de atenção entre essa competição e a Eurocopa apenas tiraria o peso de ambas.

“A realização em 2022 também permite uma maior promoção e ativação de parceiros, o que teria sido muito mais difícil no que será agora um verão de 2021 muito lotado”, destacou Nadine Kessler, ex-jogadora da seleção alemã e hoje líder da divisão de futebol feminino da Uefa.

“Esta decisão nos coloca em uma posição para entregar um torneio que atraia a atenção global, maximize a cobertura da imprensa e aumente os públicos nos estádios, nos ajudando, assim, a atingir nosso objetivo máximo de inspirar a próxima geração de jogadoras”, completou Nadine.

Em 17 de março, a Uefa havia anunciado que a Eurocopa masculina deste ano seria movida para 2021, de forma a permitir que as atuais ligas europeias concluam suas temporadas sem a pressão de encaixar os jogos no calendário que se aperta cada vez mais. Por ora, o único grande campeonato de seleções a não ser afetado pela pandemia do Coronavírus é a Copa do Mundo de 2022, distante e marcada para o inverno europeu.