Uefa decide usar VAR a partir das oitavas de final da Champions League


	Champions League

A Uefa anunciou que o Video Assistant Referee (VAR), o Árbitro Assistente de Vídeo, será usado a partir das oitavas de final da Champions League desta temporada, 2018/19. A decisão foi tomada na reunião do Comitê Executivo da Uefa, em Dublin, na Irlanda, depois de testes tecnológicos bem-sucedidos e treinamento dos árbitros nos últimos anos.

LEIA TAMBÉM: Champions na Trivela #4: análise da quinta rodada com classificados e perspectivas

Desde o início de temporada havia especulações sobre o uso do VAR em fases finais da Champions League, algo que foi negado pelo presidente Aleksander Ceferin. Só que a pressão seguiu alta, ainda mais com a adoção do sistema em quatro das cinco grandes ligas da Europa, com a exceção sendo a Premier League – que também vive uma pressão para adotar o VAR já na próxima temporada, algo que deve ser confirmado em 2019.

O Comitê Executivo da Uefa também decidiu que o VAR será usado na final da Liga Europa em 2019, na fase final da Liga das Nações e na Eurocopa sub-21 em 2019. Como era esperado, foi decidido que a partir da temporada 2019/20, a Champions League terá VAR desde a fase de playoffs (última antes da fase de grupos) até a final. Também será usada na Supercopa da Uefa de 2019 e o planejamento é usar na Eurocopa de 2020. A partir da temporada 2020/21, também será usada na Liga Europa, a partir da fase de grupos, e na fase final da Liga das Nações de 2021.

“Nós estamos prontos para usar o VAR antes do que inicialmente planejado e nós estamos convencidos que isso será benéfico para nossas competições já que irá oferecer uma ajuda valiosa para a arbitragem e irá permitir reduzir as decisões incorretas”, disse o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin.

A Uefa irá se reunir novamente em 6 de fevereiro de 2019, em Roma, na Itália, para o 43º Congresso da Uefa. A entidade também informou que irá organizar uma coletiva de imprensa dedicada a falar sobre o VAR com Roberto Rosetti, chefe de arbitragem da Uefa.