A expulsão controversa de Nani contra o Real Madrid, na tarde de ontem, ainda gera muito burburinho e críticas ao árbitro do duelo, o turco Cuneyt Çakir. Uma entrada mais dura em Arbeloa resultou num cartão vermelho direto para o português do Manchester United, e de acordo com vários discursos, a decisão pesou no resultado final da partida, vencida pelos espanhois por 2 a 1.

Ainda sim, a Uefa fez uma nota oficial atestando que apoia Çakir. Segundo o porta-voz da entidade, que falou ao jornal inglês The Guardian, não há nenhum problema com o turco: “Não há nenhum tipo de divergência em relação à expulsão. Estamos aguardando a súmula e os relatos do delegado da partida e o observador de árbitros, como de protocolo. Se eles levantarem alguma preocupação, aí sim vamos agir. Entretanto, ele permanece na nossa lista”.

LEIA MAIS
Adeus, United! Ronaldo marca e classifica Real Madrid

Sobre isso, Xabi Alonso também opinou: “Foi uma decisão dificílima do juiz, mas vimos muitos outros jogos que estivemos duelando contra apenas 10 jogadores, e posso dizer que fica mais difícil. Mas provavelmente produzimos nossos melhores minutos após este cartão vermelho. Por 15 ou 20 minutos nós estivemos bem, pacientes, e marcamos dois gols. Depois disso, tivemos de apertar mais ainda e foi difícil não conceder outro gol. Nosso goleiro foi fantástico.”

Por outro lado, o assistente de Sir Alex Ferguson, Rob Phelan, deixou clara a revolta do treinador dos Red Devils após o resultado. “Foi um grande baque, mas tivemos de seguir. Enfrentar o Real Madrid com 11 jogadores é muito complicado, e num embate como esta magnitude, diante do mundo todo, nos sentimos muito decepcionados de terminar o jogo com apenas 10 atletas. Não creio que Ferguson está em condições de comentar sobre essa situação”, frisou.