Tudo azul no Kansas

Depois de 15 anos na liga, Kansas City viu uma mudança grande ser realizada. O então Kansas City Wizards mudou sua marca para Sporting Kansas City e com a mudança veio um novo estádio, o Livestrong Sporting Park. Mas a nova casa só abriria em junho e com isso, o Sporting teria que realizar suas dez primeiras partidas fora de casa.

O começo do Sporting foi promissor, com uma vitória sobre o Chivas USA na Califórnia por 3 a 2 e o estreante Omar Bravo marcou dois tentos para a equipe do Missouri. Mas logo depois, o KC entrou em uma série de dez jogos sem vitória, incluindo um empate contra o Vancouver Whitecaps, jogo em que o Sporting chegou a abrir 3 a 0, mas deixou o time da casa empatar, com dois gols nos acréscimos.

No último jogo dessa série de jogos sem vitória, aconteceu a inauguração do Livestrong Sporting Park. Na estréia da casa, um 0 a 0 pouco movimentado, a não ser pelo primeiro gol marcado no estádio, que veio através de uma pessoa fantasiada de vaca – veja aqui.

Mas parece que a nova casa inspirou o time a melhorar sua campanha. No jogo seguinte, o Sporting, que era o lanterna da liga, foi a Frisco enfrentar o Dallas, um dos melhores times da MLS na época. O resultado foi uma vitória inesperada do KC, acabando com uma sequência dos donos da casa de nove jogos sem perder. Graham Zusi marcou dois gols e a partida terminou 4 a 1.

O Sporting, que já estava há três jogos sem perder antes da vitória contra o Dallas, embalou e conseguiu três vitórias e um empate nas próximas quatro partidas. O empate ainda pode ser considerado um ótimo resultado, já que foi conquistado fora de casa contra o Union, que era o líder da conferência leste na época e atacou durante a maioria da partida.

Há muitas razões para a melhora do time de Kansas City. Além da inauguração do estádio, onde o clube conquistou sete dos nove pontos disputados, a solidificação da dupla de zaga formada por Matt Besler e Aurelien Collin e os crescimentos de C.J. Sapong, atacante em seu primeiro ano na liga, e do meia Graham Zusi, que foi nomeado o melhor jogador da MLS em junho. E nos próximos dias, a equipe ainda pode ganhar o reforço de Soony Saad, um dos melhores atacantes a nível universitário na última temporada, já que o Sporting venceu a loteria realizada pelos direitos de negociação com o atleta de 18 anos.

O Sporting, que foi lanterna da MLS por um grande tempo, agora está em 4º lugar na conferência leste e 10º no geral, posição que daria uma vaga para o clube nos play-offs, caso os mesmos começassem hoje. E a situação da equipe parece ainda melhor, já que dos 18 jogos restantes, apenas quatro serão realizados longe do Livestrong Sporting Park. Com isso, o antes morto KC aparece como um ótimo candidato a pós-temporada em uma MLS na qual poucos clubes parecem fortes o suficiente para fazer uma boa campanha em destino a MLS Cup. Por isso, está tudo azul em Kansas City.

 

Resultados da 16ª semana da MLS
 

Toronto FC 1×0 Vancouver Whitecaps
TFC: Nick Soolsma (54’)

DC United 2×2 Philadelphia Union
DC: Josh Wolff (44’), Andy Najar (58’) / PHI: Perry Kitchen (contra, 49’), Carlos Ruiz (84’)

Chivas USA 1×1 Chicago Fire
CHV: Nick LaBrocca (46’) / CHI: Dominic Oduro (26’)

San Jose Earthquakes 2×2 New York Red Bulls
SJ: Khari Stephenson (37’), Steven Lenhart (68’) / NY: Joel Lindpere (7’, 85’)

FC Dallas 2×0 Columbus Crew
DAL: Brek Shea (58’), Jackson (76’)

Portland Timbers 1×2 Sporting Kansas City
POR: Darlington Nagbe (45’) / SKC: C.J. Sapong (15’), Aurelien Collin (19’)

Colorado Rapids 0x0 Houston Dynamo

Real Salt Lake 3×3 New England Revolution
RSL: Will Johnson (24’), Alvaro Saborío (56’), Fabian Espíndola (83’) / NE: Rajko Lekic (4’), Chris Tierney (16’), Sharlie Joseph (63’)

Los Angeles Galaxy 0x0 Seattle Sounders