Três títulos europeus enfrentaram-se em jogo da segunda divisão inglesa

Em Birmingham, Aston Villa e Nottingham Forest empataram por 2 a 2, em um movimentado jogo da Championship

Único jogo do campeonato em uma tarde de domingo. Dois títulos europeus de um lado, um do outro. Trinta mil pessoas nas arquibancadas. Poderia ser um duelo importante de qualquer grande torneio da Europa. Até mesmo da Premier League. Mas Aston Villa e Notingham Forest enfrentaram-se pela Championship, a segunda divisão inglesa, em uma partida movimentada, com dois gols para cada lado.

LEIA MAIS: Britânico entra para o Guinness após acumular 154 temporadas com o mesmo save do FM

Dificilmente conseguiríamos ver um duelo como esse na segunda divisão de outros países. A bicampeã Juventus foi rebaixada por causa do escândalo de manipulação de resultados, mas foi um caso especial, extra-campo, e, em suas partidas, todos os títulos europeus estavam de um lado só. A mesma coisa com o Milan, rebaixado nos anos oitenta, já com dois troféus na bagagem. No caso de Villa e Forest trata-se, de fato, de uma decadência técnica e com um passado glorioso nos dois lados. Sem contar que o técnico do time de Birmingham é Roberto Di Matteo, vencedor da Champions pelo Chelsea, em 2012.

Ambos foram campeões na mesma época (Forest em 1979 e 1980, Villa em 1982), quando havia uma particularidade tanto na Copa dos Campeões quanto no Campeonato Inglês. Como vocês devem saber, apenas o vencedor de cada liga nacional classificava-se para o principal torneio europeu e, naqueles tempos, o troféu estava ao alcance de qualquer um na Inglaterra. Entre 1968 e 1981, foram disputadas 13 edições da Primeira Divisão, com sete campeões diferentes. E apenas o Liverpool ganhou mais de duas vezes.

Com as chegadas da Premier League e dos grandes investimentos, o panorama do futebol inglês mudou totalmente, e os dois clubes sofreram. O Nottingham Forest, principalmente. Até porque viveu, entre o fim da década de setenta e começo da de noventa, um período de exceção da sua história, sob o comando de Brian Clough, brigando por títulos e pelas primeiras posições. Foi três vezes rebaixado na era moderna do Inglesão e, desde a queda de 1999, não conseguiu mais voltar à elite e chegou a disputar a terceira divisão.

A decadência do Aston Villa foi muito mais lenta. O clube de Birmingham foi vice-campeão da edição inaugural da Premier League, mas nunca mais brigou a sério pelo título e acabou relegado a um time de meio de tabela. Começou a brigar contra o rebaixamento há cinco temporadas e o viu ser finalmente concretizado no último campeonato.

E foi assim que os dois times encontraram-se, neste domingo, no Villa Park, pela sexta rodada da Championship. Mesmo pior na tabela, quem mandou no jogo foi o anfitrião Aston Villa, que chutou 26 vezes a gol contra apenas três arremates do Forest. Mas apenas oito exigiram a intervenção do goleiro da seleção sérvia Stojkovic, que realizou boas defesas durante a partida.

Os gols saíram todos no segundo tempo e foram bem bonitos. Henri Lansbury, desde 2012 no Forest, deu o passe para Apostolos Vellios abrir o placar, com um chutaço de fora da área. Em questão de três minutos, entre os 27 e os 29, o Aston Villa conseguiu a virada, com gols de McComarck e Gestede, o segundo com uma acrobacia dentro da área, ambos assistidos por Jordan Ayew, que também carimbou o travessão e esteve em uma tarde inspirada.

Mas Hildeberto Pereira decidiu dar o seu show. O português emprestado do Benfica, que havia saído do banco de reservas no segundo tempo, recebeu cartão amarelo por falta em Aly Cissokho. Um minuto depois, arrancou até a entrada da área e foi desarmado na hora H. A bola sobrou para Lansbury empatar. Pereira comemorou correndo em direção à torcida, recebeu a segunda advertência e foi mandado para o chuveiro, 25 minutos depois de entrar em campo.

No fim, resultado melhor para o Forest que, mesmo acuado, arrancou um ponto da sua viagem a Birmingham e está na décima colocação da Championship. O Aston Villa, no entanto, venceu apenas um jogo até agora e ocupa o amargo 17º lugar. Mas ainda tem muita segunda divisão pela frente.