A bola nunca para. Acabaram os clubes, começaram as seleções. Mas é verdade também que o cardápio de jogos ficou um pouco menor, com a Copa do Mundo feminina e a Copa América dominando o calendário. Por isso, desta vez, daremos apenas três dicas para tentar o caminho da fortuna no fim de semana. 

Cadasetre-se na Spin Sports, clicando neste link, e aproveite um bônus de 100% do valor depositado para apostas grátis. Ou seja: sem arriscar seu dinheirinho. 

Brasil x Bolívia, gol de Roberto Firmino @ 1.95
Sexta-feira, 21h30

O Brasil estreia na Copa América contra a Bolívia, uma das mais fracas seleções da América do Sul. O último encontro foi 5 a 0 para os brasileiros, pelas Eliminatórias Sul-Americanas. Desde então, a Bolívia disputou apenas amistosos e não levou muito gol, mas também não enfrentou quase ninguém forte. Quando o fez, sofreu três dos EUA, cinco da Sérvia e dois da França, que anda bem desinteressada ultimamente. Se houver muitos gols, a chance de Roberto Firmino, titular do comando de ataque, deixar o seu é alta. Na Seleção, ele atua mais próximo da área, sem tanta responsabilidade de recuar para armar o jogo. Marcou nas últimas duas vezes em que vestiu a amarelinha, contra República Tcheca e Honduras. 

Holanda x Camarões, mais de 2,5 gols da Holanda @ 2.00
Sábado, 10h

A Holanda é uma das candidatas ao título e tem a craque Lieke Martens. Desde o começo do ano passado, tem algumas goleadas impressionantes a seu favor, como 6 a 2 contra o Japão Copa de Algarve, e 7 a 0 e 5 a 0 sobre a Irlanda do Norte pelas Eliminatória. Recentemente, em amistosos, fez 7 a 0 no Chile e 3 a 0 contra a Austrália. Camarões ficou na semifinal da Copa das Nações de 2018, perdendo nos pênaltis para a Nigéria que disputou a decisão contra a África do Sul. Recentemente, quando enfrentou grandes seleções europeias em amistosos, foi goleado: 6 a 0 para a França e 4 a 0 para a Espanha. 

Uruguai x Equador, vitória do Uruguai @ 1.76
Domingo, 19h

Podemos buscar os resultados recentes do Uruguai. Nos amistoso desde a Copa do Mundo, goleou o México, perdeu de Coreia do Sul, Japão (um incomum 4 a 3), Brasil e França. Vem de três vitórias folgadas contra os fracos Uzbequistão, Tailândia e Panamá. Mas não é um histórico muito significativo porque o time treinado por Óscar Tabárez se transforma em competições internacionais. Especialmente com um elenco mais qualificado, com jogadores como Bentancur, Vecino e Maxi Gómez mais experientes. E o Equador não passa a impressão de estar em um momento especial. Resultados normais nos amistosos, com direito a derrotas para Catar, Estados Unidos e México.