Em março, citando a vontade de ficar mais próximo da sua família, o treinador Henk de Jong, do De Graafschap, anunciou que retornaria para o Cambuur, clube em que trabalhou entre 2010 e 2016. O que ele não esperava é que o destino é um tremendo cretino.

Acontece que o De Graafschap ficou na vice-lanterna da Eredivisie, o que significa que precisa disputar os playoffs contra equipes da segunda divisão para se manter na elite holandesa. E adivinha qual foi o seu adversário nas semifinais? Esse mesmo que você pensou: o Cambuur.

Isso colocou De Jong em uma situação impossível. Vencer o duelo seria a garantia de disputar a segunda divisão na próxima temporada. Perder o duelo colocaria em dúvida o seu senso de profissionalismo, embora ele tenha feito o possível em entrevistas para lidar com a situação normalmente.

“Eu sou um esportista e não quero ser rebaixado. Não há ninguém no Cambuur que espera que eu os ajude agora. Eu sou treinador do De Graafschap. Não tive nenhum contato com os jogadores do Cambuur ainda”, disse, semana passada, o treinador de 54 anos que tem contrato com o De Graafschap até 1º de julho. “Eu ouço outras pessoas preocupadas com a situação, mas ela não me incomoda. O clube perguntou como eu estou. Bom, eu quero manter o De Graafschap na primeira divisão”.

E, provando todo o seu profissionalismo e ética, ele terá a oportunidade de fazer isso. Depois de empatar o jogo de ida por 1 a 1, o De Graafschap venceu em casa, por 2 a 0, dois gols de Charlison Benshop, e garantiu vaga na final do playoff contra o Sparta Roterdã. Também garantiu que Henk de Jong estará na segunda divisão na próxima temporada.

.

.