O jovem treinador Francisco García, de 21 anos, foi vítima do Covid-19, a doença causada pelo novo Coronavírus. Ele era treinador das categorias de base do Atlético Portada Alta, clube da região de Málaga, e descobriu que tinha leucemia, o que o tornou parte do grupo de risco para a doença. É o primeiro caso de morte de menor de 70 anos na região da Andaluzia, na Espanha.

Foi a sétima morte pelo novo Coronavírus na região da Andaluzia, mas a primeira vítima jovem. Antes dele, as cinco mortes anteriores na região tinham sido de pessoas de 70 anos ou mais. García chegou ao hospital na semana passada com problemas respiratórios e quadro de pneumonia. Porém, as coisas ficaram ainda mais complicadas quando o jovem foi examinado e, além da detecção do Covid-19, foi diagnosticado com uma leucemia agressiva. O vírus complicou as coisas. As autoridades sanitárias, segundo informa o site Málaga Hoy, dizem que treinador teria sobrevivido se não tivesse a leucemia. A junção das enfermidades acabou por torná-lo mais suscetível aos efeitos mais graves do vírus.

García era treinador da categoria Infantil B, que abrange jogadores de 12 e 13 anos. “Era um rapaz muito b om e um treinador de muito sucesso. Estamos em estado de choque. Me chamaram às 19h de domingo me dizendo que estava estabilizado depois de ser internado na sexta. E uma hora depois… Estou que não acredito, não creio, me parece impossível”, afirmou Pepe Bueno, presidente do clube, ao Málaga Hoy.

Nas redes sociais, o clube fez um manifesto emocionado. “Queremos manifestar nosso mais profundo pêsame à família, amigos e pessoas próximas ao nosso treinador Francisco García que nos deixou, por profunda desgraça, no dia de hoje. E agora, o que fazemos sem você, Francis? Sim, sempre estava conosco no clube e onde você fará falta, ajudando. Como vamos seguir conquistando quilômetros na liga? Não sabemos como, mas seguramente faremos, por ti. Não vamos de esquecer, descanse em paz, fenômeno. Até sempre”.

A Espanha é o segundo país europeu com mais casos, com 9.428, segundo a Johns Hopkins University. Só a Itália, com 27.980, tem mais casos na Europa. A China tem 80.032 casos.