Salvatore Sirigu foi o homem responsável por guardar a meta do Paris Saint-Germain nos últimos anos, e com ele, o clube francês conquistou a França três vezes. Mas no mercado de transferências, Laurent Blanc foi atrás de outro goleiro para desafiar o italiano. Kevin Trapp chegou do Eintracht Frankfurt, ganhou a confiança do técnico para ser titular e vinha bem, sem ser vazado em nenhum dos seus primeiros cinco jogos. Até enfrentar o Bordeaux nesta sexta-feira.

LEIA MAIS: Vídeo da nova camisa do PSG faz tanto sentido quanto comerciais de perfume

Edinson Cavani marcou duas vezes para construir a vitória do PSG, mas duas falhas gritantes de Trapp estragaram o dia dos donos da casa e determinaram o empate por 2 a 2. A primeira foi ainda na etapa inicial. O alemão basicamente esqueceu que precisava agarrar a bola.

A segunda veio quando o PSG parecia caminhar para mais uma daquelas vitórias um pouco sem graças que vem colecionando no Campeonato Francês. Recebeu um recuo da defesa e tinha todo o tempo do mundo para distribuir a bola. Demorou tanto que Khazri conseguiu alcançá-lo, fez o desarme e empatou o jogo.

Na sua apresentação, Trapp disse se inspirar em Manuel Neuer e que, hoje em dia, o goleiro precisa ficar esperto para ler o jogo e saber quando antecipar um lance de ataque. “Sou um daqueles goleiros que acreditam que o goleiro é quase um jogador de linha. Para mim, o goleiro é o 11º jogador”, disse.

Isso é verdade, e se bem feito, ajuda muito a defesa, mas o goleiro também precisa saber a hora de dar chutão. Porque, enquanto isso, Sirigu está no banco de reservas, esperando uma chance para retomar o seu posto, e a confiança de Blanc em Trapp acabou de ser testada pela primeira vez.