Tradição é algo que sempre precisa ser levado em conta quando falamos de Libertadores. La Copa é um torneio que precisa de cuidados para ser disputado e a experiência certamente ajuda. Peñarol e Nacional, os dois mais tradicionais times uruguaios, são recordistas de participações na Libertadores – 38 e 37 edições, respectivamente. O terceiro colocado nesta lista? Olimpia, 35 vezes. E os três conseguiram vitórias importantes na noite de terça-feira.

No primeiro confronto da noite, o Peñarol jogou em casa contra o Emelec, outro time importante da América do Sul e que costuma complicar para os adversários – Flamengo e Olimpia lembram bem o que aconteceu em 2012. Os uruguaios estreavam em casa na competição e queriam dar à sua fanática torcida motivos para comemorar. E por isso, fez o que se esperava: foi para o ataque, pressionando o Emelec para tentar ganhar o jogo.

Com destaque para a atuação de Fabian Estoyanoff, o time criou algumas chances no jogo, mas sofria com a falta de criatividade. Assim, suas melhores chances vinham em jogadas pelos lados do campo. E foi em uma jogada assim que saiu o gol do time. O lateral Alejandro González desceu bem pela direita, tentou o cruzamento, a bola foi bloqueada e sobrou para Estoyanoff, que chutou cruzado para o meio da área onde o centroavante Juan Manuel Oliveira estava para fazer o seu papel: mandar para as redes.

Foi o único gol do jogo, apesar do Emelec ter feito força para empatar. O Peñarol se fechou na defesa para segurar o resultado e, ainda que tenha sofrido um pouco, conseguiu. Assim, o Peñarol soma duas vitórias em dois jogos e lidera o grupo. Deportes Iquique e Vélez Sarsfield ainda se enfrentam nesta quarta-feira.

Em casa, quem manda é o Olimpia
Ortiz, capitão do Olimpia, comemora o segundo gol do Olimpia (Foto: AFP PHOTO / Norberto Duarte)
Ortiz, capitão do Olimpia, comemora o segundo gol do Olimpia (Foto: AFP PHOTO / Norberto Duarte)

O Olimpia é o mais antigo clube de futebol do Paraguai e tem esse nome em homenagem à cidade onde foram criadas as Olimpíadas. E a vitória sobre a Universidad de Chile foi digna de uma medalha de ouro. O placar de 3 a 0 reflete uma postura agressiva do time da casa, que tornou a vida do time semifinalista no ano passado um inferno.

O time fez uma pressão enorme desde o primeiro minuto – e não por acaso, marcou logo depois da bola começar a rolar, em um chute de longe de Juan Manuel Salgueiro, o camisa 10. Antes dos dez minutos, veio outro gol. Depois de uma confusão na área em escanteio, o capitão Richard Ortiz mandou para as redes e marcou 2 a 0.

A Universidad de Chile tinha se acertado no jogo e já levava perigo na segunda metade do primeiro tempo. Terminou a primeira etapa dentro do jogo e dava a impressão de uma reação. Só que logo a dois minutos, uma falha ridícula da defesa permitiu que Salustiano Candia marcasse 3 a 0 e definisse o jogo. Depois disso, o próprio time chileno desanimou e pareceu não ter forças para buscar diminuir o resultado.

Assim, o Olimpia marca seus primeiros três pontos na competição, depois de perder o primeiro jogo para o Newell’s Old Boys, que enfrenta o Deportivo Lara nesta quinta-feira, já pela segunda rodada. Só o Deportivo Lara não pontuou, os demais têm três pontos cada na tabela do Grupo 7.

Nacional surpreende Toluca no México
Ivan Alonso comemora o gol da vitória do Nacional contra o Toluca, no México (Foto: AFP PHOTO/Alfredo Estrella)
Ivan Alonso comemora o gol da vitória do Nacional contra o Toluca, no México (Foto: AFP PHOTO/Alfredo Estrella)

O empate na primeira rodada jogando em casa pode ter deixado os torcedores do Nacional um pouco decepcionados, apesar da boa atuação do time no segundo tempo, empatando um jogo que perdia por 2 a 0. Só que a atuação desta terça-feira contra o Toluca na casa do adversário certamente já deixou a sensação de frustração pelo empate na rodada inaugural para trás. O time conseguiu uma virada espetacular e venceu por 3 a 2 no estádio Nemesio Diez.

Primeiro, aos 21 minutos, o Toluca abriu o placar com Luis Tejada, em um cruzamento para a área que o atacante completou de cabeça. Foi o placar do primeiro tempo, mas que durou só um minuto na etapa final: depois de cruzamento para a área e rebote do goleiro, Vicente Sánchez completou para a rede e empatou o jogo.

Empatar o jogo tão cedo no segundo tempo poderia animar o Nacional, mas aos seis minutos de jogo o Toluca voltou a ter vantagem no placar, com Edgar Benítez Santander recebendo na área e tocando com calma na saída do goleiro. Novamente, o placar não durou muito: aos nove, o atacante Vicente Sánchez aproveitou novamente o rebote de uma cobrança de falta de Albín que desviou na barreira. O jogo estava novamente empatado.

A mística charrua se fez presente no México em um contra-ataque. O time uruguaio não desistiu da partida e, aos 11 minutos, ou seja, dois minutos depois de empatar, Ivan Alonso recebeu dentro da área do lado direito e bateu bonito de pé esquerdo para virar o jogo. Foi o placar final do jogo, que faz o Nacional o líder do Grupo 1, com quatro pontos. A segunda rodada será completada no dia 27, quando o Barcelona recebe o Boca Juniors em Guaiaquil.

No fim, três vitórias de três camisas que respeitam a Copa e são respeitadas por ela. Porque isso também é Libertadores.