O Tottenham anunciou o meio-campista Pierre-Emile Höjbjerg, de 25 anos, vindo do Southampton. Uma contratação que o leva de volta a um clube de destaque, na liga de maior repercussão no mundo e com um técnico que é badalado. Este, aliás, foi um dos motivos dados pelo jogador para assinar o contrato que o leva aos Spurs. Ele se disse “muito orgulhoso, feliz e empolgado” e ainda descreveu José Mourinho como um técnico do mais alto nível.

Segundo o Guardian, o dinamarquês custou £ 15 milhões (€16,6 milhões), sendo que £ 12 milhões foram descontados pela contratação do lateral direito Kyle Walker-Peters, que já estava emprestado ao time de St. Mary’s e fica em definitivo no clube. Um negócio que resolve uma situação complicada entre o dinamarquês e o Southampton, que estavam em litígio.

Promissor no início da sua carreira, o jogador chegou no Bayern no Bröndby, ainda na base, em 2012. Em 2013, foi promovido ao time principal com o técnico Pep Guardiola, ganhou minutos e parecia um bom nome para ficar de olho. Seu rendimento, porém, acabou ficando abaixo do esperado. Em 2015, foi emprestado ao Augsburg e, na temporada seguinte, ao Schalke. Sem ter espaço no seu retorno, foi negociado com o Southampton por € 15 milhões.

Na Inglaterra, o jogador conseguiu ter um bom desempenho. Tanto que se tornou capitão do time. Virou um jogador importante dos Saints, atuando no centro do campo. Foram bons anos jogando pelo time, até que nesta temporada a braçadeira foi tirada dele, pela recusa em renovar seu contrato. Ficou claro que ele seria negociado e o Everton surgiu como interessado, mas o Tottenham acabou vencendo a concorrência pelo desejo do jogador em trabalhar com Mourinho.

“Eu estou muito orgulhoso, muito feliz, eu estou também muito empolgado por estar aqui. Eu quero apenas começar, conhecer todo mundo e jogar futebol”, disse o jogador em entrevista ao site do Tottenham. “Eu gosto de trazer energia, eu gosto de trazer vitórias, eu espero. Desde o primeiro momento que eu falei com as pessoas no clube, o técnico, eu acho que ficou muito claro para mim que os Spurs são um grande um clube muito grande, mas também um clube com muito potencial para alcançar, e eu quero muito ser parte disso”, continuou o meio-campista. “Os líderes e os jogadores que nós temos são de classe mundial. E o técnico também, de classe mundial”.

Hojbjerg chega para fortalecer um setor que José Mourinho tinha perdido Christian Eriksen em janeiro e recebe um jogador adaptado ao país, com um bom histórico de regularidade de atuações em alto nível. É um setor carente para o time e que talvez traga mais jogadores ainda neste setor. De qualquer forma, será interessante ver como o dinamarquês que se sai.