O Tottenham aproveitou a chance que se apresentou à sua frente e deu um grande passo rumo às quartas de final da Champions League. O jogo estava equilibrado no primeiro tempo, mas no segundo os Spurs vieram a campo para decidir o jogo, enquanto o Dortmund pareceu perder a concentração. O placar de 3 a 0 parece até demais pelo que foi o jogo, ao menos olhando o desempenho. O fato é que os ingleses foram com vontade para o segundo tempo, enquanto o Dortmund pareceu estar em pré-temporada, desligado, desconcentrado, mole na marcação. Agora, precisará de um milagre em casa, no Signal-Iduna Park, para poder avançar.

LEIA TAMBÉM: Mbappé sobre o PSG sem Neymar e Cavani: “Temos que parar de vender o medo”

O primeiro tempo teve pouco para se destacar. O Tottenham foi quem mais tentou, mas chegou pouco com perigo. Um chute de Lucas, no começo do jogo, foi o primeiro sinal de perigo para o gol dos alemães. O Tottenham atuou com três zagueiros e transformou o belga Jan Vertonghen em ala. Uma decisão que acabou sendo decisiva para o placar, porque o belga participou diretamente de dois dos três gols do time. O primeiro tempo, porém, acabou em 0 a 0, sem grandes chances de cada um dos lados. Passava longe de ser um grande jogo.

Logo no início do segundo tempo, o Tottenham aproveitou uma bobeira do Dortmund para abrir o placar. Hakimi perdeu a bola na direita, Eriksen tomou, tocou para Lucas, que abriu de primeira para Vertonghen. O belga cruzou para a área e encontrou Son, que completou de primeira de pé direito: 1 a 0, logo a dois minutos da etapa final.

Depois do gol, o Dortmund teve pouca reação, se é que dá para dizer que teve alguma. O time alemão pouco conseguia fazer em campo, sem chegar ao ataque, nem mesmo em contra-ataques. Era o Tottenham quem chegava mais perto de um outro gol, rondando a área. E em outra bobeada defensiva dos aurinegros, os ingleses foram letais.

Depois de um chute de Eriksen bloqueado, a bola sobrou para Götze, que demorou e perdeu a dividida. A bola foi para Aurier, na direita, e o ala cruzou para a área. Encontrou Vertonghen, livre, nas costas da defesa: 2 a 0 para o Tottenham e uma bela vantagem para o time de Mauricio Pochettino.

O que se espera com um 2 a 0 para o adversário, em um jogo de mata-mata, já deveria ser motivo suficiente para acordar o Dortmund. Só que não foi. O Dortmund parecia ainda estar confortável no jogo. Não saía para o jogo, em parte porque o Tottenham não deixava, mas em parte também porque o time parecia muito conformado. Pouca movimentação, sem marcação alta, sem aquela urgência típica de times que estão sofrendo um resultado duro.

O que se viu, na verdade, foi o Tottenham aproveitar que o Dortmund parecia morto em campo para seguir no ataque. E em um escanteio cobrado por Eriksen, Fernando Llorente, que tinha entrado pouco antes, subiu de cabeça na primeira trave e tocou para o gol: 3 a 0. O espanhol tinha entrado no lugar de Lucas Moura, dando uma opção de referência no ataque.

O gol aos 40 minutos deveria, enfim, despertar o fogo do Dortmund, ao menos o medo de desclassificação. Só que não aconteceu, e o Tottenham tocou a bola, gastando o tempo ate o apito final. A torcida fez muita festa no estádio de Wembley pelo resultado, que foi maior que a atuação do Tottenham, mas adequada pelo que o Dortmund não fez. Os alemães, comandados por Lucien Favre, precisarão de um milagre em Dortmund. E contra um dos times que melhor joga futebol na Inglaterra atualmente. Será uma tarefa difícil. Resta ao Tottenham mostrar sua força no início de março.