Entre as flamantes torcidas do norte da África, os argelinos se destacam. E, diferentemente de marroquinos ou egípcios, demonstram um gosto especial pelos fogos de artifício. O melhor exemplo aconteceu nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, quando a classificação da seleção foi celebrada com um mosaico de pequenas tochas nas arquibancadas. E, nesta terça, essa aptidão voltou a se expressar na semifinal da Copa da Argélia, disputada entre Belouizdad e Bel Abbès, na capital Argel.

O Estádio 20 de agosto de 1955, com capacidade para 15 mil torcedores, possui um edifício bem ao lado de um dos setores. E a torcida do Belouizdad, dono da casa, não se contentou em encher apenas as tribunas. Dezenas de pessoas viam a partida das janelas do prédio. Mas, desta vez, nada de ligar e desligar as luzes. Os alvirrubros fizeram um paredão de fogo, acendendo sinalizadores e também soltando rojões. Não pareceu uma atitude tão prudente, mas gerou um espetáculo bonito de se ver.

A comemoração com bola rolando anteviu o resultado. Nos pênaltis, os anfitriões selaram a classificação à final, após o empate por  0 a 0 no tempo normal. A equipe do subúrbio de Argel possui cinco títulos do Campeonato Argelino e outros seis títulos da Copa da Argélia, o último conquistado em 2009. Pegará na decisão MC Alger ou Sétif, atual campeão nacional – em festa na qual até os jogadores acenderam sinalizadores.