A comoção pública com os atentados que deixaram 130 vítimas em Paris permanece forte na França, e repercute nos campos de futebol. No sábado, o Paris Saint-Germain voltou para casa simbolizando a união dos parisienses no Parc des Princes. Já neste domingo, a maior torcida do país também se solidarizou. Independente das rivalidades que existam entre a capital e a região da Provença, o Olympique de Marseille abraçou as cores da bandeira. E, famosos por seus mosaicos no Estádio Vélodrome, os marselheses fizeram um especial para simbolizar o luto, antes do empate por 3 a 3 com o Monaco.

Reconhecida por seu engajamento, a torcida do Marseille não deixou de homenagear as vítimas em seu primeiro jogo em casa desde os ataques. Além do mosaico com um coração e a bandeira francesa, os presentes ainda estenderam uma faixa que dizia: “Por nossas liberdades”. E o hino francês, a tradicional Marselhesa, foi cantada com força pelo público. Manifestação importante diante do clima vivido na França, e que se faz ainda mais notável em uma cidade marcada pela forte presença de imigrantes. Marselha conta com uma das maiores comunidades de árabes da Europa, da qual saiu, por exemplo, Zinedine Zidane.

Já dentro de campo, os dois times fizeram jus ao espetáculo das arquibancadas, em uma das partidas mais emocionantes da temporada no Campeonato Francês – e muito por conta das péssimas atuações das defesas. O Olympique abriu o placar aos 12 minutos, com Alessandrini, mas Almamy Touré buscou a virada para o Monaco ainda no primeiro tempo. Na volta do intervalo, Batshuayi empatou, enquanto Fábio Coentrão voltou a deixar o time do principado em vantagem. Já aos 37, N’Koudou fechou o placar com o terceiro gol dos marselheses. O Monaco é o sétimo na tabela, enquanto o Olympique aparece apenas na 11ª posição.