Torcida do Marseille oferece recepção especial a seus jogadores depois de primeira vitória contra o PSG em nove anos

Marcado por episódios de violência entre os jogadores na reta final da partida, cinco expulsões e uma acusação de racismo cometido pelo zagueiro Álvaro, o clássico entre Paris Saint-Germain e Olympique de Marseille no domingo (13) teve também grandes elementos restritos ao jogo jogado em si. O triunfo por 1 a 0 dos marselheses foi o primeiro dos Phocéens contra os parisienses em quase nove anos, e a recepção da torcida fanática do OM na chegada da equipe ao aeroporto em Marselha refletiu a importância da vitória.

[foo_related_posts]

Ainda na noite de domingo, algumas dezenas de torcedores do Marseille aguardaram os jogadores no Aeroporto de Marignane, em Marselha, com cantos e sinalizadores. Enquanto caminhavam até o ônibus, os jogadores foram saudados em um corredor de honra feito pelos fanáticos, com alguns atletas se entregando à festa, como Dimitri Payet, que passou carregando uma caixa de som.

As cenas, por mais bonitas que tenham sido, levantaram um alerta, devido à grave situação sanitária vivida em todo o mundo em decorrência da pandemia do Coronavírus. Alguns torcedores aparecem nas imagens sem máscaras, e o próprio corredor de honra feito aos atletas, com muitos abraços envolvidos, não respeitou exatamente o distanciamento social – longe disso.

O entusiasmo, por mais que exacerbado, pode ser entendido. A última vez que o Olympique de Marseille havia derrotado o PSG havia sido em 27 de novembro de 2011 (3×0), quando o Catar havia acabado de chegar ao comando do clube e não havia iniciado a revolução que caracterizou a última década dos parisienses.

Mais do que isso, a última vitória marselhesa no Parque dos Príncipes havia sido em 28 de fevereiro de 2010 (0x3), ou seja, há mais de dez anos.

A partida do domingo, válida pela terceira rodada da Ligue 1, foi apenas a segunda de cada uma das equipes, cada uma delas com um jogo a fazer. E, de momento, o Marseille já abre uma vantagem inesperada de seis pontos para o PSG, que perdeu seus dois jogos de abertura do Campeonato Francês sem marcar nenhum gol pela primeira vez desde a temporada 1978/79.