Durante a temporada passada, Moise Kean foi vítima de injúrias raciais em partida pela Serie A. O atacante ouviu as ofensas quando enfrentava o Cagliari, na Sardenha. O momento principal dos ataques aconteceu logo depois que o jovem anotou o seu gol, contribuindo à vitória da Juventus por 2 a 0: ele abriu os braços e encarou fixamente a torcida adversária. Os locais, então, passaram a xingá-lo ainda mais, assim como atiraram objetos contra o juventino. Depois do episódio, não somente o presidente do Cagliari minimizou o ato de seus torcedores, como também alguns membros da Juve, incluindo o zagueiro Leonardo Bonucci. Vendido ao Everton, Kean logo saberá que a postura de sua nova torcida será outra na luta contra o racismo.

Após a confirmação da transferência, um grupo de torcedores do Everton criou uma vaquinha para juntar dinheiro e fazer uma faixa de apoio a Kean em sua estreia. A intenção é que a mensagem condene o racismo e apoie a postura no novo atacante dos Toffees. “Estamos juntando £1 mil para mostrar a Kean através de uma faixa que, no Everton, somos uma família e que estamos unidos contra o racismo. Ficaremos lado a lado”, diz o anúncio do financiamento coletivo, que superou sua meta em poucas horas.

“Contratar Kean significa muito para nós, como uma base de torcedores. Entendemos a diversidade mais do que a maioria. Após ver Moise lutar contra o racismo, como ele fez contra o Cagliari, queremos que ele saiba que não estará sozinho. Terá milhares de torcedores ao seu lado. Enquanto ele lutará por nós em campo, nós lutaremos do lado de fora, apoiando-o como parte de uma grande família do Everton. Essa é nossa maneira de mostrar isso. Tem sido uma excelente resposta da torcida e não podemos agradecer o suficiente. Uma pequena ideia se tornou viral rapidamente”, apontou um porta-voz da campanha, ao Liverpool Echo.

Kean chegou ao Everton em negócio que custou €27,5 milhões. O atacante foi um dos grandes destaques da Juventus na reta final da temporada passada, ao acumular seis gols em 13 partidas pela Serie A. Contudo, em busca de mais espaço, mudou-se à Inglaterra e deve se tornar absoluto na linha de frente dos Toffees. Sabe que contará com todo o apoio no Goodison Park, especialmente em uma causa tão importante que precisou empunhar.

A postura da torcida do Everton, aliás, é diametralmente oposta ao que aconteceu com Malcom em sua chegada ao Zenit. O atacante brasileiro também foi vítima de racismo, de um grupo de torcedores que ironizou sua contratação através de uma faixa. Após inicialmente negar a existência da ofensa, o Zenit declarou que houve uma “interpretação errada” da mensagem e que não existia alusões racistas em seu conteúdo. Além de Malcom, o elenco celeste possui outros dois jogadores negros, ambos contratados em 2019: o lateral brasileiro Douglas Santos e o volante colombiano Wilmar Barrios.