Leigh Griffiths não é o atacante mais virtuoso, mas ainda assim simbolizou o sucesso do Celtic ao longo desta década. Carrasco do Rangers, o artilheiro também empilhou gols ao longo de quatro temporadas. Desde o último ano, no entanto, seus números vinham caindo. As lesões atrapalharam o camisa 9. Já na atual edição do Campeonato Escocês, as participações do centroavante minguaram. E a certeza de que havia algo errado com o ídolo veio nesta semana. Apontado “problemas pessoais”, o Celtic anunciou que Griffiths pausará sua carreira de maneira indefinida. Ofereceu apoio ao jogador de 28 anos e garante que estará de portas abertas se ele quiser retornar.

A torcida do Celtic também entendeu Griffiths. E prova disso aconteceu nesta quinta-feira, durante a derrota para o Red Bull Salzburg na Liga Europa. A homenagem aconteceu aos nove minutos, referência à camisa usada pelo artilheiro. Além dos aplausos em apoio ao matador, os ultras alviverdes estenderam uma faixa dizendo: “É OK não estar OK. Você nunca andará sozinho, Leigh”. Através do site do clube, o atacante agradeceu as mensagens de carinho enviadas pelos fãs nos últimos dias.

Sem revelar qual o problema de Griffiths, o técnico Brendan Rodgers garantiu que o jogador procurará acompanhamento profissional – indicando que está ligado à saúde mental e à depressão. Declarou que os próprios companheiros tiveram importância para que o camisa 9 aceitasse seu entrave, dando um passo para trás. Questionado pela imprensa sobre os rumores de que o vício em apostas seria a razão, o treinador apontou que é “algo maior, culminando diferentes aspectos”. O comandante ainda definiu o centroavante em estado emocional vulnerável.

“Sim, ele realmente precisava de apoio. Acredito que parte dos jogadores estava ciente disso. Alguns deles me ligaram quando fiquei sabendo sobre um incidente. Leigh quer ajuda. Quando você tem esses incidentes, e isso ocorre mais de uma vez, chega um momento em que precisamos repensar. Vamos avaliá-lo e traçar um plano. Sei faz um tempo e não podia dizer isso ao ser perguntado se ele está em forma. Existe um pacto de confiança que nunca vou quebrar. Mas acredito que estamos em um ponto que ele precisa de ajuda. É mais que futebol. Ele é pai de cinco crianças. Queremos ajudá-lo a reencontrar a felicidade e trazê-lo de volta aos gramados”, explicou Rodgers.

“Não é uma fraqueza para se falar. O mais importante aos técnicos está no bem-estar dos jogadores. É algo difícil, especialmente nesta profissão. Está claro que ele precisa botar ordem em sua vida para mostrar em campo o grande talento que possui. Podemos ajudar as pessoas e é isso que pretendemos fazer com ele. Leigh tem todo o apoio da comissão técnica e do elenco. É um cara legal que apenas precisa de alguma ajuda. Ele ainda é muito jovem. O mais importante está em reconstruirmos sua mente, colocando-o em um bom lugar. Se você está feliz e em energia, pode fazer o melhor como jogador de futebol. Antes de tudo, esqueça o rendimento. Pense no jovem como ser humano e vamos conduzi-lo a partir daí”, complementou.

Outras personalidades e clubes do futebol escocês também manifestaram seu apoio a Griffiths. Técnico do Rangers, Steven Gerrard desejou forças ao atacante, que recebeu homenagens nas redes sociais do Hibernian, um de seus antigos clubes.