Após 25 rodadas, o Bolton tem apenas 17 pontos na Championship. O clube venceu apenas dois jogos e, atualmente, ocupa a última colocação da segunda divisão inglesa. A situação horrível dentro de campo só não é pior do que a vivida fora dele, e a situação está tão complicada que os torcedores resolveram se unir para buscar uma alternativa para tirar seu time do coração do buraco. Em reunião que contou com a presença de mais de mil pessoas, a torcida votou pela criação de um grupo para participar de decisões administrativas do clube.

VEJA TAMBÉM: Diretor do Football Manager pede desculpas a Kane por atributos ruins em versões anteriores do jogo

A dívida do Bolton chega a 172,9 milhões de libras, e o dono do clube, Eddie Davies, procura desde o mês passado potenciais compradores dispostos a assumir os débitos e tentar salvar a equipe. Segundo a BBC, há quatro partes interessadas na compra do clube, mas desde dezembro as negociações não avançaram significativamente.

Diante da situação difícil do clube, os torcedores votaram pela criação de um grupo que tem como principal objetivo participar ativamente das decisões administrativas da equipe, além de buscar potenciais investidores. A reunião desta quarta contou com alguns jogadores que fizeram parte da história do clube, como Kevin Davies, que vestiu a camisa do Bolton por dez anos. Davies colocou-se à disposição do grupo recém-criado e afirmou que fará o que puder para também atrair investidores. “Se eu puder ajudar de qualquer maneira o grupo, ou puder ajudar a encontrar investidores, farei isso, já que amo o clube. Ainda está em uma posição perigosa, e há muitas perguntas a serem respondidas para que avancemos, mas isso já é um começo”, afirmou o jogador que atualmente defende o Preston North End.

Davies toma o Portsmouth como exemplo do que pode ser alcançado no Bolton. Em 2013, um grupo de torcedores interveio na crise financeira da equipe e adquiriu o clube do coração. Quem sabe o que pode acontecer? Você olha para o Portsmouth, onde eles estão agora e onde estavam. Sei que levou dois, três anos para que chegassem a esse ponto, mas é um começo. Agora eles podem ser levados a sério, podem se sentar com o Trevor (Birch) e ver se podem ajudar de alguma maneira.”

O próprio grupo de torcedores do Bolton, no entanto, através de Chris Peacock, um de seus representantes, já descartou uma intervenção financeira e disse que focará seus esforços apenas no auxílio administrativo. “O grupo não é uma bala de prata que solucionará todos os problemas deste clube, mas podemos ser parte de uma potencial solução. Precisamos mostrar que o grupo é confiável e que pode ser uma opção”, explicou.

O técnico do Bolton, Neil Lennon, revelou que o clube poderá em breve negociar alguns de seus jogadores para aliviar a situação financeira. “Recebmos um ou duas ofertas que ainda não foram aceitas. A decisão está do lado dos outros clubes e das partes interessadas. Obviamente, não é ideal, mas a curto prazo é importante que possamos arrecadar um pouco de capital para manter o clube funcionando neste mês”, contou o treinador.

O Bolton passou 11 temporadas seguidas na elite do futebol inglês, entre 2001 e 2012. Desde o rebaixamento no fim da campanha 2011/12, o clube não conseguiu deixar a Championship, e o péssimo desempenho atual aponta para uma queda para a terceira divisão. Tetracampeão da Copa da Inglaterra e finalista da Copa da Liga Inglesa em 2004, o time encara um futuro incerto, e, dependendo de como seja conduzido, o envolvimento de sua torcida pode ser a chave para o resgate de uma equipe de tradição. Este tem sido o caminho que diversos clubes britânicos, como o Rangers e o Leeds, além do Portsmouth, têm tomado em situações semelhantes.