O preço alto de ingressos costuma ser alvo de protestos no futebol do mundo inteiro. Na Suíça, os torcedores do Basel ficaram insatisfeitos quando foram anunciados os preços da final da Copa da Suíça. As torcidas organizadas do clube decidiram fazer um protesto bastante criativo. Convocaram os torcedores a não comprarem os ingressos pelos preços estabelecidos pela Federação Suíça e estão vendendo por conta própria, a preços muito menores.

O Basel se classificou para a final da Copa da Suíça com uma vitória por 3 a 1 sobre o Zurich. A final será no dia 19 de maio, contra o Thun, em Berna. Só que a briga contra os ingressos caros já tinha começado nas semifinais. Representantes das torcidas dos quatro times, Luzern, Thun, Zurich e Basel pediram que os ingressos fossem reduzidos. O preço inicial é de 50 francos suíços (cerca de € 44 ou R$ 192) e vão até 120 francos suíços (€ 105 ou R$ 462).

“Nós não iremos comprar nenhum ingresso, nós venderemos nossos próprios ingressos. Além disso, nós convocamos os torcedores do Basel para chegar individualmente e boicotar os trens extras”, afirmou a torcida Muttenzerkurve, em seu site. O ingresso é vinculado a uma passagem de trem, por isso o pedido para não comprarem e irem de outra forma ao estádio. Os ingressos vendidos pela torcida vão de 25 (€ 22 ou R$ 96) francos até 40 francos (€ 35 ou R$ 154).

A ideia dos torcedores é marcharem, juntos, do centro de Berna até a porta do estádio. Assim, oferecerão o dinheiro arrecadado com os ingressos vendidos pela torcida em troca de poder permitir a entrada dos jogadores. Os torcedores fazem uma campanha intitulada “Futebol para todos”, que luta por ingressos mais baratos nos estádios suíços. Os torcedores estão otimistas que a federação aceitará a proposta.

Para isso, a torcida pede que os torcedores resistam à tentação de comprar os ingressos pelos preços estabelecidos pela federação. Os torcedores pedem organização para que possam pressionar e permitir um preço menor para os torcedores verem a final.

Eis uma forma realmente criativa de tentar protestar. É um risco, mas também exige um enorme grau de comprometimento entre os torcedores. É uma forma curiosa de se fazer ser ouvido. Veremos os resultados dessa ação.