Os torcedores de Arsenal, Chelsea, Liverpool e Tottenham se uniram para cobrar a Uefa por mais diálogo e medidas para melhorar a experiência dos torcedores nas finais europeias. Para isso, o grupo divulgou um plano com seis pontos, incluindo ingressos a preços acessíveis e mais critério na escolha das cidades que receberão as finais de Champions League e Liga Europa. Os quatro clubes foram finalistas das competições europeias na temporada 2018/19 e houve uma série de críticas à Uefa.

Houve diversos problemas logísticos para os torcedores que foram às finais, seja em Baku, na Liga Europa, ou mesmo da Champions League, em Madri. Além disso, houve muita reclamação porque as opções de transporte se tornaram caríssimas, mesmo no caso da capital espanhola. Matéria da BBC mostrou aumento de preços de 683% nos voos para Madri, por causa da final da Champions League. Por isso, os torcedores pedem que a Uefa tenha mais cuidado com a escolha das cidades, até pensando em aspectos logísticos.

Os torcedores de Liverpool e Tottenham receberam a alocação de menos de 50% do total de ingressos da final disputada no estádio Wanda Metropolitano (com capacidade para pouco mais de 67 mil pessoas). Já os torcedores de Chelsea e Arsenal, finalistas da Liga Europa, receberam 5 mil ingressos cada para a decisão no Estádio Olímpico de Baku, com capacidade para pouco mais de 68 mil pessoas.

A Uefa reiterou as dificuldades de um planejamento envolvendo a organização de venda de ingressos e de viagens para os torcedores. Se defendeu dizendo que “é impossível prever” os times que chegarão à final, porque as sedes das finais são escolhidas dois anos antes. Este é justamente o ponto dos torcedores: é preciso que haja mais critério e se pense mais nos torcedores quando a escolha é feita.

O plano dos torcedores traz seis pontos:

– Alocação de 80% dos ingressos para torcedores dos finalistas das finais;

– Capacidade dos estádios que recebem a final ser maior que 60 mil pessoas para a Liga Europa e 75 mil para a Champions League;

– Uma política de preços que tenha maior variedade e dê mais opções de preços aos torcedores;

– Acessibilidade de alto padrão para as pessoas com deficiência;

– Localização da cidade com excelentes ligações de transporte, inclusive capacidade para lidar com voos adicionais privados, boas ligações via férrea a cidades próximas e aeroportos, além de capacidade de vagas em hotéis para lidar com alta demanda;

– Que a cidade anfitriã respeite direitos humanos e que “garanta que nenhuma discriminação ou negação de direito de entrada seja aplicada a qualquer jogador ou torcedor que viaje até a final”.

“Chegar à final da Champions League ou Liga Europa deveria ser uma experiência maravilhosa para os torcedores dos clubes. Ao invés disso, eles podem enfrentar muita dificuldade apenas para chegar à partida. O espectro dos problemas vai desde número inadequados de ingressos para os finalistas a arranjos de viagem que beiram o impossível. Demasiadas vezes os torcedores que foram apoiar seus clubes em cada uma das fases até a final são deixados de fora pelo preço ou por não conseguir ir até a final”, diz o comunicado dos torcedores.

“Amanhã [quinta, 29] o sorteio muito esperado irá envolver todo mundo da família do futebol, exceto as pessoas sem as quais não haveria futebol europeu, os torcedores. Nós pedimos à Uefa que fortaleça o diálogo com os torcedores e pede que eles comecem a se envolver com grupos como nós para discutir as propostas que apresentamos”, concluem os torcedores.