O torcedor do Birmingham, Paul Mitchell, que no último fim de semana agrediu com um soco por trás o meia Jack Grealish, do rival Aston Villa, não ficará impune. De maneira rápida e eficaz, o agressor foi condenado a prisão pelas próximas quatorze semanas depois de assumir a culpa pela invasão de campo e agressão. Além da reclusão, Mitchell também foi banido dos estádios pelos próximos dez anos e pagará uma indenização a Grealish, no valor praticamente simbólico de 100 libras. O torcedor já havia sido banido permanentemente pelo próprio Birmingham.

LEIA TAMBÉM: Grealish deu a melhor resposta ao covarde que o agrediu: decidiu o dérbi de Birmingham na casa dos rivais

O juiz Alison Fisher, responsável pela condenação, foi enfático ao explicar sua decisão. “Nós percebemos que você assumiu a responsabilidade de suas ações. Entretanto, este tipo de comportamento é totalmente inaceitável”. As consequências dos atos de Mitchell ultrapassaram as questões legais. Por meio de seu advogado, o torcedor afirmou que sua família foi obrigada a sair da cidade por medo das ameaças feitas pela internet contra ele.

Por meio de uma nota, Grealish, que curiosamente marcou o gol da vitória do Villa contra o Birmingham, se pronunciou através de uma nota, lida no julgamento. “Eu não posso ajudar, mas me sinto o quão sortudo fui neste incidente. Poderia ser muito pior se o torcedor portasse algum tipo de arma”.

A Football Association também se pronunciou, não apenas sobre o caso ocorrido com Grealish, mas também em relação ao empurrão sofrido por Smalling, do Manchester United, no jogo contra o Arsenal. De acordo com a federação inglesa, situações como essas mostram que “uma linha tem sido cruzada em relação ao comportamento dos torcedores”. “Isto é totalmente inaceitável e condenamos fortemente ambos os incidentes. Nós iremos trabalhar com os clubes, com as ligas e com a polícia para discutir o que é preciso ser feito para proteger jogadores e árbitros em campo”, completou um porta-voz da entidade.

Aliás, Paul Mitchell não foi o único que se deu mal por conta de atitudes inapropriadas. Um outro torcedor do Birmingham foi igualmente banido pelo próprio clube por conta de tweets que insultavam o jogador rival, ironizando a perda de um irmão de Grealish, ocorrida no início dos anos 2000. O fantasma do hooliganismo ainda ronda o futebol inglês, mas punir de forma exemplar, sem esquecer da prevenção, pode ajudar a frear esse fenômeno.