A Itália suspendeu todos seus eventos esportivos até 3 de abril, mas, com os casos de coronavírus e mortes ainda crescendo, é irreal imaginar neste momento que a Serie A será retomada nessa data. Segundo o presidente da Associação Italiana de Jogadores, Damiano Tommasi, “se tudo der certo”, a bola pode voltar a rolar em maio ou junho.

MAIS: QUAIS CAMPEONATOS FORAM SUSPENSOS? QUAIS FECHARAM OS PORTÕES?

A Itália registrou 368 mortes no último domingo, elevando o total em 25% para 1.809. É o país mais afetado pela pandemia além da China e, entre seus 24.747 casos, há 16 jogadores como Daniele Rugani, da Juventus, Patrick Cutrone, da Fiorentina, e Manolo Gabbiadini, da Sampdoria.

“É claramente impossível começar a jogar no começo de abril”, afirmou Tommasi ao programa Che Tempo Che Fa. “Se tudo der certo, podemos voltar em maio ou junho. Quando falamos sobre futebol, as pessoas acham que estamos apenas garantindo a segurança dos jogadores, mas há um mundo inteiro por trás do time”.

“O primeiro a ser contaminado foi na Serie C, com o Pianese, e o roupeiro deles ainda está em tratamento intensivo. A Juventus tem 100 pessoas em quarentena. Essas pessoas viajam ao redor da Itália e da Europa, encontram muita, muitas pessoas no seu trabalho. O problema não é apenas italiano, mas europeu, então a Uefa tem que se comportar como a União Europeia”, completou.

Nesta terça-feira, a Uefa realizará uma reunião com líderes do futebol europeu para decidir o que fazer, e o presidente da Federação Italiana de Futebol, Gabriele Gravina, pedirá o adiamento da Eurocopa, programada para começar em 12 de junho no Estádio Olímpico de Roma, evidentemente uma impossibilidade se o futebol italiano voltar em maio ou junho – o que parece ser no momento a melhor das hipóteses.

Apesar de ter feito toda a preparação para a Eurocopa ao fim desta temporada, o treinador da seleção italiana Roberto Mancini sabe que há outras prioridades e afirmou até que, se o torneio for adiado para 2021, seu time pode até vencê-lo.

“Não sei como isto terminará, mas há coisas mais importante do que a Euro de 202, sem dúvida. Se eles adiarem o torneio, podemos mesmo vencê-lo daqui a um ano. O importante é a saúde de todo mundo e que possamos retornar aos estádios e nos divertirmos”, disse Mancini à Rai. “Ver as pessoas morrendo nos últimos dias está nos machucando demais”.

Mancini afirmou que sua lista de convocados estava pronta, com apenas algumas dúvidas de última hora, mas, se tiver mais um ano de preparação, “haverá mudanças”.