Por Luís Filipe Pereira

Para um país que nos últimos anos se caracterizou por revelar jogadores com vocação para o ataque, sejam habilidosos, a exemplo de Karel Poborsky e Tomás Rosicky, ou nem tanto, como Milan Baros e Jan Koller, Tomás Kalas pode ser encarado como uma grata surpresa.

O defensor se encaixa perfeitamente no estilo zagueiro-zagueiro, aquele que é vigoroso na marcação (chegando a ser desleal em algumas ocasiões) e seguro na saída de bola. Revelado pelo modesto Sigma Olomouc, clube de sua cidade natal, o garoto viu sua vida mudar de uma hora para outra ao ser negociado com o Chelsea, um dos gigantes da Europa.

Início da carreira

Nascido em 15 de maio de 1993, na pequena Olomouc, cidade de pouco mais de 100 mil habitantes, situada na região da Morávia (território que ocupa a parte oriental da República Tcheca), o jovem iniciou sua carreira ao ingressar nas categorias de base do Sigma Olomouc em 2004, com apenas 11 anos.

A estreia entre os profissionais aconteceu às vésperas de completar 18 anos de idade, em 5 de maio de 2010, num jogo em que seu time derrotou o Slovan Liberec pelo placar de 2 a 0.  Essa atuação seria o suficiente para que os dirigentes do Chelsea ratificassem a expectativa que tinham pelo jogador.

Dois meses depois, Roman Abramovich depositaria cerca de 5 milhões de euros na conta dos tchecos, sacramentando o negócio. Segundo a imprensa européia, clubes como Bayer Leverkusen, Milan e Arsenal, também se interessaram em contar com o jovem em seus elencos, mas Kalas teria escolhido a proposta vinda de Stamford Bridge por ser a mais vantajosa, financeiramente falando.

Tempo de brilhar?

Para seus admiradores, a principal característica de Kalas, além do vigor nos desarmes e  da lucidez para sair com a  bola dominada, é sua rapidez na recuperação. Algo peculiar para um atleta alto (ele tem 1,84m de altura).

O Chelsea, clube que o contratou, se caracteriza por ser adepto de uma prática adotada por vários clubes europeus. Ao contratar um jovem talento proveniente de um centro afastado do futebol, decide por emprestá-lo para que o jogador evolua profissionalmente, a fim de que, quando seja de fato, requisitado pela equipe, ele desenvolva seu futebol da melhor maneira possível.

Por isso, antes de integrar a equipe azul, Kalas passaria metade da temporada seguinte com o Sigma Olomouc. Ao regressar do empréstimo, foi a campo defender a equipe reserva dos Blues por dez vezes. Depois disso, foi novamente envolvido numa transferência, dessa vez para o Vitesse, clube que disputa o campeonato holandês. A expectativa é que o jogador, dono de um potencial digno de grandes jogadores, adquira o máximo de experiência possível, para que em curto prazo, componha as fileiras no front inglês.

Seleções de base

Defendendo a República Tcheca em alguns torneios desde os 16 anos, Kalas é visto como o líder da equipe e esperança de futuras conquistas. Sua estreia na equipe aconteceu em 5 de setembro de 2009, num jogo que valia vaga no Campeonato Europeu sub-17. Naquela ocasião, Kalas entrou aos 21 minutos do segundo tempo e os tchecos ganharam a partida contra a Bielorússia por 1 a 0. Até aqui, foram 23 jogos disputados, defendendo diferentes categorias da seleção de base de seu país,  com dois gols anotados. 

Alguns críticos do futebol acreditam que a revelação de um zagueiro pode ser o que faltava para que a República Tcheca consiga alçar vôos maiores, dentro e fora de seu continente. Passo importante para que  se consolide de vez como uma das grandes seleções do cenário mundial.

FICHA TÉCNICA

Nome: Tomás Kalas
Nascimento: 15/mai/1993, em Olomouc (TCH)
Clubes: Sigma Olomouc-TCH (2009 a 2010 e 2011), Chelsea-ING (2010) e Vitesse-HOL (desde 2001, por empréstimo)