Youri Tielemans e Adrien Silva geraram certa badalação no mercado de transferências em 2017. O prodígio do Anderlecht parecia mais um daqueles negócios certeiros do Monaco, pensando no futuro. Já o capitão do Sporting vinha para ocupar uma lacuna no meio-campo do Leicester, ainda que os minutos de atraso na entrega dos seus documentos tenham retardado a estreia em um semestre. Fato é que, no fim das contas, nem um e nem outro cumpriu as expectativas. Sem problemas: ingleses e monegascos trocaram suas peças neste fechamento da janela, em empréstimo mútuo até o fim da temporada que parece ótimo a ambas as partes.

Tielemans teve um primeiro ano fraco com a camisa do Monaco. Já nesta temporada, seus números até melhoraram. O belga passou a exercer uma influência maior nos corredores dos alvirrubros. Nada suficiente para evitar a péssima campanha dos monegascos na Ligue 1 e muito menos para elevar o seu moral, também com a bagunça interna no principado. A volta de Leonardo Jardim ao Estádio Louis II, com quem o jovem não tinha boa relação, encaminhou sua saída. Outros clubes se interessaram em seu futebol, mas a proposta do Leicester acabou sendo mais vantajosa. Afinal, mais do que dinheiro, garante um bom acréscimo ao elenco.

A história de Adrien Silva no Estádio King Power é parecida. Veio com muita repercussão, pelo bom desempenho com o Sporting e pelas aparições na seleção de Portugal. O meio-campista era um desejo antigo do Leicester e, depois de muita insistência, assinou com a equipe. O problema maior veio no registro do lusitano, em trâmite quebrado que não permitiu o seu retorno a Lisboa e nem a estreia na Premier League. Foram meses apenas treinando, até que sua estreia acontecesse em janeiro de 2018. Pouco empolgou. Até ganhou seu lugar no time durante a reta final da temporada passada, mas na atual campanha mal apareceu pelas Raposas.

Aos 29 anos, Adrien Silva é um negócio imediatista. O Monaco precisa de jogadores que causem impacto e adiciona tarimba no meio-campo, em parceria do novato ao lado de Cesc Fàbregas. Além de se tornar um homem de confiança de Leonardo Jardim, de certa maneira o lusitano também ocupará a vaga deixada por João Moutinho. Tielemans, por sua vez, pode ganhar novo gás na Premier League. Será um campeonato mais competitivo para motivar o jovem de 21 anos e comprovar o seu talento. Um recomeço digno, após a decepção no principado. Sua capacidade nos chutes de longa distância, aliás, tende a ser uma arma importante ao Leicester.

Ainda não estão claros quais os termos da transação ao final da temporada, quando o período de empréstimo for concluído. O Leicester não apontou se possui alguma cláusula de compra, caso deseje ficar com Tielemans em definitivo. Neste sentido, a balança penderia um pouco mais às Raposas, considerando a maneira como o prodígio pode se valorizar no Estádio King Power. Há motivação para os dois jogadores, de boa qualidade, darem a volta por cima nestes próximos meses.