A seleção brasileira aproveita a Data Fifa para os “lucrativos” amistosos com o elenco principal, mas também vem realizando constantes partidas na preparação rumo ao ciclo olímpico de 2020. Como de praxe, na mesma coletiva em que Tite divulgou os nomes convocados para os amistosos contra Argentina e Coreia do Sul, André Jardine também listou os atletas para os próximos compromissos do time sub-23. É um plantel bastante interessante, de fato. Mas sem coerência em relação ao que aconteceu na equipe de cima: vários times do Brasileirão ficarão desfalcados de seus garotos.

Obviamente, fazer uma convocação da seleção olímpica apenas com jogadores que atuam fora do país é missão praticamente impossível, visando um nível de qualidade. Também não dá para apelar apenas a atletas que são reservas nos clubes do Brasileirão ou que estão em times sem grandes interesses. De qualquer maneira, Jardine (e, por tabela, Tite) dão motivos para os torcedores ficarem na bronca. Ao todo, 11 jogadores chamados atuam nos clubes do país e oito deles são nomes frequentes entre os titulares de suas equipes.

A maior parte dos atletas figura em times que lutam por vagas na Copa Libertadores. Matheus Henrique (Grêmio), Pedrinho (Corinthians), Artur (Bahia) e Antony (São Paulo) integram este grupo, com menção ainda a Walce, reserva do São Paulo. No caso de Artur, excepcionalmente, há uma particularidade que não custa tanto ao Tricolor: emprestado pelo Palmeiras, ele não poderá encarar o adversário da vez.

Mais abaixo na tabela, Guga tenta ajudar o Atlético Mineiro a definir os seus rumos, enquanto Caio Henrique empurra o Fluminense na luta contra o rebaixamento. Bruno Guimarães é o único dos titulares “sem grandes objetivos”. Ainda há Ivan, goleiro da Ponte Preta, fundamental ao time que aparece no meio da tabela e tenta dar um gás rumo ao acesso.

Todos se ausentarão na rodada de 15 de novembro, enquanto Ivan tende a perder dois compromissos da Segundona. A seleção olímpica participará do Torneio de Tenerife nesta data. Enfrentará os Estados Unidos no dia 14 e depois pegará o vencedor do confronto entre Argentina x Chile no dia 17. Além da ausência, ainda há o desgaste pela viagem até o arquipélago espanhol, nas proximidades da costa marroquina.

Com pausa na Data Fifa, jogadores de clubes estrangeiros foram incluídos normalmente por André Jardine. Entre as principais novidades, estão atletas que se destacaram na rodada das competições europeias nos últimos dias: o lateral Dodô, do Shakhtar Donetsk, e o atacante Gabriel Martinelli, do Arsenal. Também ganham uma chance pela primeira vez neste ano o lateral Ayrton Lucas (Spartak Moscou), o zagueiro Rodrigo (Portimonense) e o meio-campista Thiago Maia (Lille). No restante da lista, outros jogadores que já vinham sendo chamados, a exemplo dos atacantes Pedro e Matheus Cunha.

Com a aproximação do Torneio Pré-Olímpico em janeiro de 2020, sem dúvidas o trabalho de observação é vital. Estes serão os últimos amistosos da Seleção para acertar os ponteiros e não há a certeza se todos os atletas em atividade na Europa poderão ser convocados – já que a competição não acontecerá na Data Fifa. De qualquer maneira, deveria haver um pouco mais de consenso e bom senso dentro da CBF – o que, não nos iludamos, quase sempre é impossível. Acaba sendo mais uma deixa para que os torcedores demonstrem a insatisfação, enquanto muitos clubes preferem a subserviência.

Goleiros: Anderson (Athletico Paranaense), Ivan (Ponte Preta) e Phelipe (Grêmio)

Laterais: Dodô (Shakhtar Donetsk), Guga (Atlético Mineiro), Ayrton Lucas (Spartak Moscou) e Caio Henrique (Fluminense)

Zagueiros: Ibañez (Atalanta), Lyanco (Torino), Rodrigo (Portimonense) e Walce (São Paulo)

Meio-campistas: Bruno Guimarães (Athletico Paranaense), Lucas Fernandes (Portimonense), Matheus Henrique (Grêmio), Pedrinho (Corinthians), Thiago Maia (Lille) e Wendel (Sporting)

Atacantes: Antony (São Paulo), Artur (Bahia), Gabriel Martinelli (Arsenal), Mateus Cunha (RB Leipzig), Paulinho (Bayer Leverkusen) e Pedro (Fiorentina).