A mera presença na fase de grupos da Liga Europa significa muito ao Dudelange. Os clubes de Luxemburgo quase sempre foram inexpressivos no cenário continental, mas os aurirrubros quebraram uma imensa barreira quando conquistaram a classificação inédita na temporada passada. Como era de se esperar, os luxemburgueses terminaram engolidos em uma chave com Betis, Olympiacos e Milan, mas tiveram a honra de dificultar a vida dos pesos pesados do outro lado. E se nesta temporada o Dudelange repetiu o feito, outra vez presente na fase de grupos, o passo além veio de forma épica. Logo na estreia, a equipe conquistou a primeira vitória de um representante de Luxemburgo na fase principal de uma competição europeia. Num jogo completamente insano, derrotou o Apoel Nicósia dentro do Chipre por 4 a 3, em resultado arrancado de virada e no final.

O Dudelange não pode reclamar do sorteio das preliminares da Liga Europa nesta temporada. Se no último ano os nanicos precisaram derrotar Legia Varsóvia e Cluj, desta vez a Rota dos Campeões guardou adversários de outras ligas pouco expressivas. Superaram Shkëndija (Macedônia do Norte), Nõmme Kalju (Estônia) e Ararat Armenia (Armênia) para alcançar a etapa principal. Apesar dos riscos de eliminação na última fase, com a vaga só garantida nos pênaltis, os luxemburgueses confirmaram que a surpresa anterior não foi mero acaso.

Apesar da saída do técnico Dino Toppmöller, o Dudelange manteve sua base. O meia Danel Sinani permanece como grande destaque da equipe, com cinco gols em seis partidas nas fases preliminares. O alemão Dominik Stolz é outra referência do elenco, enquanto a braçadeira de capitão permanece com o goleiro Jonathan Joubert, veterano que é personagem histórico na seleção luxemburguesa. Num grupo contra Qarabag e Apoel, dava para acreditar que os azarões poderiam ir além do único ponto conquistado na campanha passada. Pois o time precisou de apenas um jogo para se superar.

A surpresa do Dudelange começou a se desenhar em Nicósia logo no primeiro tempo, quando Sinani abriu o placar, numa finalização sutil para concluir o contra-ataque. No início da segunda etapa, Antoine Bernier ampliou – com assistência de Sinani. Porém, o Apoel protagonizou uma reação incrível antes dos 15. Os cipriotas anotaram três gols em somente quatro minutos. Oportunista, Andrija Pavlovic balançou as redes duas vezes e deu a virada aos anfitriões no marcador.

Contudo, o Apoel não soube administrar a vantagem. E, mais importante, o Dudelange não se apequenou diante da situação adversa. Stolz recolocou os luxemburgueses no jogo ao buscar o empate aos 27, brigando dentro da área para completar um cruzamento da direita. Por fim, o gol da vitória dos visitantes aconteceu aos 37. Stolz entregou uma boa inversão para Sinani, que tinha uma avenida aberta pela direita. O camisa 9 encarou a marcação e começou a buscar o espaço na diagonal. Então, na meia-lua, acertou um chute rasteiro. A bola foi no cantinho e beijou a trave antes de entrar. A história se cumpria com um triunfo sem igual.

O Dudelange desfruta o resultado enorme, mas sabe que o seu trabalho não para por aí. O triunfo em Nicósia também indica que os luxemburgueses podem até brigar pela classificação. Se o Sevilla salta como favoritíssimo no Grupo A, encarar cipriotas e azeris não parece tão difícil. O Estádio Josy Barthel será uma fortaleza, em busca de façanhas que parecem não ter fim aos luxemburgueses.