Já ouviu a notícia? A sua vida social acabou. O Football Manager 2020 foi lançado no começo da semana e agora chegou a hora de realizar todos os seus sonhos na frente da tela do computador. E, com o objetivo de ajudá-lo a descobrir quais são esses sonhos, separamos dez clubes que podem gerar saves bacanas na nova edição do nosso game favorito.

Alguns valem pelo desafio, outros pelos jogadores bem bacanas ou por orçamentos de transferência que lhe permitem montar um time com a sua cara. Também analisamos todos os elencos para passar algumas dicas de quais são os melhores jogadores, as promessas para o futuro e em qual setor é mais interessante investir o seu rico dinheirinho virtual.

Leicester

O problema é aqui é o conflito com a realidade. O máximo que você pode conseguir, na Premier League, Claudio Ranieri já conseguiu. E, no momento, Brendan Rodgers está indo muito bem, obrigado. De qualquer forma, o Leicester tem um ponto de partida muito interessante para você tentar quebrar a hierarquia da Premier League, muito baseada em quem tem mais bala para gastar.

O Leicester, aliás, não é um time pobre. Começa com orçamento de € 34,83 milhões e certo espaço na folha salarial para fazer pelo menos umas duas boas contratações, com alguns pesos mortos que podem ser vendidos para reforçar o caixa, e há ajustes no elenco para serem feitos.

Com a saída de Harry Maguire para o Manchester United, o Leicester ficou com quatro zagueiros. Çaglar Söyüncü tem potencial para chegar ao mais alto nível, e Jonny Evans quebra muito bem o galho. Os outros dois são Wes Morgan, 36 anos, e Filip Benkovic. Um zagueiro de primeira classe para encarar os poderosos ataques da Premier League é a prioridade.

Em seguida, eu sugeriria uma reformulação nas pontas. Harvey Barnes é uma promessa e pode tranquilamente fazer parte da rotação, mas demora um certo tempo para chegar lá. As outras opções são Marc Albrighton e Demarai Gray, todos para a esquerda e nenhum passa a sensação de ser um titular incontestável. E simplesmente não tem ninguém especialista na direita.

Se sobrar uma graninha, vale a pena pensar em um reserva imediato para Jamie Vardy, 32 anos, a menos que você queria confiar em Iheanacho. O meio-campo, pelo menos, é um setor quase perfeito: Ndidi, Tielemans e James Maddison se complementam e seriam titulares em quase qualquer equipe.

Craque: Youri Tielemans (construtor de jogo avançado)
Miúdo maravilha: Harvey Barnes (avançado interior)
Orçamento de transferências: € 34,83 milhões
Orçamento de salários: € 9,9 milhões por mês (€ 358 mil livres)

Milan

O clássico desafio de Football Manager: tirar o gigante adormecido da lama e devolvê-lo ao lugar onde merece estar. E o fato de o Milan estar muito, muito longe de onde merece estar torna-o um desafio dos mais fascinantes.

Perto de outros gigantes, não há muito dinheiro disponível – o que está alinhado com a realidade, na qual o clube aceitou ser excluído da Liga Europa para fazer desaparecer um processo por violações do Fair Play Financeiro. Há apenas € 25 milhões disponíveis e praticamente nenhum espaço na folha salarial.

A reconstrução tem que ser gradual e, embora não pareça na vida real, o Milan parte de uma espinha dorsal muito boa. Gianluigi Donnarumma no gol, Alessio Romagnoli na defesa, Franck Kessié no meio-campo e Suso na criação são jogadores de primeira linha.

A questão é ir pouco a pouco acrescentando mais atletas desse nível ao time, enquanto os coadjuvantes vão quebrando o galho. Os laterais direitos Conti e Calabria e os esquerdos Ricardo Rodríguez e Theo Hernández são competentes, assim como Mattia Caldara para fazer dupla com Romagnoli. A defesa não é uma urgência. Do meio para frente, Ante Rebic, Çalhanoglu, Bonaventura e Samu Castillejo são bons jogadores de rotação ou podem ser vendidos se a preferência for por um time titular mais forte a um elenco mais profundo.

O comando de ataque é de Piatek, mas há uma questão: ele praticamente sabe jogar apenas de uma forma, como ponta-de-lança fixo. Embora tenha excelentes atributos psicológicos, o único técnico é a finalização. Uma boa pedida seria contratar um outro atacante que desse mais versatilidade ao ataque.

Há dois jovens de muito futuro no elenco do Milan, todos para o meio-campo. Um deles é Lucas Paquetá, que joga bem tanto como meia central, quanto como camisa 10 (desculpa, Rivaldo). O outro é Ismaël Bennacer, com o potencial de se tornar um dos melhores volantes do jogo.

Craque: Franck Kessié (médio área-a-área)
Miúdo maravilha: Ismaël Bennacer (construtor de jogo recuado)
Orçamento de transferências: € 25 milhões
Orçamento de salários: € 7,7 milhões por mês (€ 26,6 mil livres)

Real Sociedad

É muito difícil quebrar o duopólio de Barcelona e Real Madrid, ainda mais quando você não está no comando da terceira força, o Atlético de Madrid, nem de um Valencia ou um Sevilla. Tentar fazê-lo com a Real Sociedad é um grande desafio.

O clube basco tem um núcleo jovem muito interessante. Martin Odegaard é talvez o nome mais famoso e ele estará à disposição por pelo menos duas temporadas, duração do empréstimo do Real Madrid. O melhor jogador, porém, é Mikel Oyarzábal, um camisa 10 de nível mundial. Entre os garotos com potencial, ainda há Alexander Isak, Aihen Muñoz, Igor Zubeldia e Adnan Januzaj que, acreditem, ainda tem 24 anos.

O meio-campo é o setor mais bem servido da Real Sociedad, com Oyarzábal, Merino, Zubeldia e a experiência de Ilarramendi. Isak e William José, que costuma fazer bastante gol no Football Manager, tornam o comando de ataque bem aceitável.

O gargalo está na defesa. Apenas Diego Llorente parece ser um zagueiro particularmente bom. Aritz Elustondo pode participar da rotação, mas seria interessante encontrar nomes mais fortes para o setor. Nas laterais, Nacho Monreal segura muito bem a bronca na esquerda enquanto Muñoz se desenvolve, mas, na direita, também são necessárias opções melhores.

O problema é que não há muito dinheiro à disposição. O orçamento de transferências é de apenas € 7 milhões e a folha salarial não permite muito espaço de manobra. O negócio é abrir o caderninho de contatos e encontrar boas barganhas.

Craque: Mikel Oyarzábal (construtor de jogo avançado)
Miúdo maravilha: Aihen Muñoz (defesa lateral)
Orçamento de transferências: € 7,7 milhões
Orçamento de salários: € 3,3 milhões por mês (€ 179 mil livres)

Racing

Quem não gostaria de um cargo de professor titular da Academia? Eduardo Coudet está de saída para o Internacional, e o Racing precisa de outro técnico promissor para desafiar os cofres de Boca Juniors e River Plate. Campeão argentino em 2018/19, parte de uma base interessante.

A força do time está no meio-campo, com Matías Rojas, Marcelo Díaz e Mauricio Martínez entre os principais jogadores. Vale a pena explorar um esquema tático sem pontas porque o mais talentoso à disposição é Matías Zaracho, mas sua função favorita pelos lados é de construtor de jogo avançado e ele pode executá-la também pelo meio.

E, nesse caso, seriam necessários dois atacantes. Sorte que o Racing tem três de bom nível. O melhor é Lisandro López, aos 36 anos, o único jogador de frente do elenco com quatro estrelas, segundo o relatório do auxiliar técnico. Jonathan Cristaldo e Dario Cvitanich oferecem suporte, e Juan Dinenno, também partindo de quatro estrelas, já pode preparar a sucessão de López quando retornar de empréstimo ao Deportivo Cali.

O treinador do Racing também está bem servido na defesa. Gabriel Arias é um goleiro competente e jogará à frente dos bons zagueiros Leonardo Sigali e Alejandro Donatti. A lateral esquerda parece bem coberta com Eugenio Mena e Alexis Soto, mas a direita precisa urgentemente de reforços. Prioridade no mercado de transferências.

Craque: Lisandro López (avançado recuado)
Miúdo maravilha: Matías Zaracho (construtor de jogo avançado)
Orçamento de transferências: € 900 mil
Orçamento de salários: € 920 mil por mês (€ 34,73 mil livres)

Bayer Leverkusen

Quebrar a hegemonia do Bayern de Munique não é fácil. Seria mais especial com um time que tem o pouco elogioso apelido de Neverkusen (porque nunca conquistou a Bundesliga). O lado positivo é que, no Football Manager, o Bayer Leverkusen tem o que a gente mais gosta: muitos e muitos jovens de alto potencial.

Os principais são Kai Havertz e Leon Bailey, e eu lhes desejo boa sorte na tentativa de segurá-los no clube durante muito tempo. As propostas por esses dois craques serão altas e constantes e você terá que escolher se prefere vendê-los para reinvestir o dinheiro ou segurá-los o máximo possível, sob o risco de prejudicar o ambiente do vestiário.

O time tem que ser montado em torno dos dois. Começando pela defesa, Jonathan Tah lidera a zaga e está bem acompanhado de Aleksandr Dragovic e de Panagiotis Retsos que, dependendo do save, evolui para se tornar um zagueiro de primeira linha. Wendell é competente na lateral esquerda, mas não há um reserva no elenco. A melhor opção para a lateral direita parece ser o croata Tin Jedvaj ou o polivalente Lars Bender.

O meio-campo tem boas opções para começar, especialmente Kerem Demirbay, com excelentes atributos técnicos (18 de cantos, 17 de cruzamentos, 16 de livres, 17 de passe, 16 de técnica, 15 de primeiro toque). O garoto Nadiem Amiri costuma se desenvolver bem. O brasileiro Paulinho é outro que tem potencial para chegar aos primeiros patamares do futebol europeu, se for bem treinado, mas algum reforço mais adulto para a ponta-esquerda não seria uma má ideia.

O comando de ataque tem Kevin Volland, que já viu edições melhores do Football Manager na sua carreira, mas tem atributos físicos e psicológicos para ser um bom atacante cumpridor, desde que os gols estejam em outro lugar (apenas 13 de finalização). Uma alternativa seria o pivô Lucas Alario ou buscar algum atacante melhor no mercado, embora haja pouco dinheiro disponível.

Craque: Kai Havertz (construtor de jogo avançado)
Miúdo maravilha: Paulinho (extremo invertido)
Orçamento de transferências: € 5 milhões
Orçamento de salários: € 6,3 milhões por mês (€ 250 mil livres)

Tottenham

Dizer que o trabalho de Mauricio Pochettino foi excelente, mas que nele não ganhou nenhum título é uma avaliação fria, cruel e verdadeira. Acha que consegue fazer melhor? Então, bora tentar. O Tottenham é um time rico para os padrões do Football Manager e, se for levado constantemente à Champions League, a tendência é de altos orçamentos de transferência.

Com isso em mente, a questão é montar um time com a sua cara que seja capaz de disputar com os melhores do mundo. O ideal é começar pela defesa, com uma reformulação de ponta a ponta. Quem acompanha os Spurs sabe que a saída de Kieran Trippier deixou um vácuo na lateral direita, e isso é verdade no jogo também. Vale inclusive tentar vender Serge Aurier, avaliado em € 17 milhões e com alto salário, e reinvestir o dinheiro em um lateral direito de alto nível, com Kyle Walker-Peters no suporte.

A zaga não inspira confiança em médio prazo porque Arderweireld e Vertonghen tem mais de 30 anos e seus contratos estão chegando ao fim. É a hora de fazer dinheiro com eles e trazer dois grandes jogadores para serem os pilares do setor, com Davinson Sánchez como primeiro reserva e Juan Foyth de quarta opção. Danny Rose ainda pode quebrar um galho na lateral esquerda, mas é bom começar a pensar na sucessão, até porque Ryan Sessegnon ainda é muito jovem e já atua mais naturalmente na ponta do que como defensor.

A partir do meio, o negócio é bem melhor. Dier, Wanyama, Moussa Sissoko e Ndombélé formam um bom quarteto de apoio para os caras da frente brilharem. Lo Celso, Dele Alli e Christian Eriksen começam o jogo como grandes jogadores – lembrando que o dinamarquês está no último ano do seu contrato e ele se recusa a renová-lo no começo do save. Son não deve nada a ninguém na ponta esquerda, e Harry Kane é simplesmente um dos melhores atacantes do jogo.

Craque: Harry Kane (avançado recuado)
Miúdo maravilha: Troy Parrot (ponta de lança)
Orçamento de transferências: € 34,83 milhões
Orçamento de salários: € 10,9 milhões por mês (€ 1 milhão livres)

Lyon

Acha que tem o que é necessário para fazer o Monaco e ganhar um título francês do Paris Saint-Germain? Vamos tentar com o Lyon, e digo por experiência que o desafio é complicadinho. O objetivo é montar um time que ganhe quase todos os jogos porque o número de tropeços permitidos é bem limitado para acompanhar o ritmo de Neymar, Mbappé e companhia.

O lado bom é que o elenco parte de uma base interessante. Memphis Depay é um craque, mas costuma oscilar de desempenho, então é interessante ter um reserva à altura. Moussa Dembélé se torna um atacante de primeiro nível, e a saída de Nabil Fékir permite a Houssem Aouar brilhar como camisa 10. Na ponta direita, Maxwell Cornet e Bertrand Traoré cumprem muito bem os seus papéis.

Parte do pote de € 30 milhões à disposição precisa ser gasto no meio-campo. A saída de Ndombélé deixou o setor um pouco frágil. Thiago Mendes parece um bom jogador, e Lucas Tousart é um volante competente, mas falta um jogador dominante.

A defesa também merece atenção. Jason Denayer é um grande zagueiro, mas precisa de companhias melhores. Kenny Tete e Léo Dubois fazem uma boa dupla de laterais direitos, e Youssouf Koné foi contratado para o outro lado, no lugar de Ferland Mendy – mas eu contrataria outro, se houver dinheiro.

Como a liga francesa não é das mais fortes, um bom trabalho coloca o Lyon na Champions League constantemente, o que pode aumentar a quantidade de dinheiro à disposição. Basta gastá-lo com sabedoria para triunfar onde Sylvinho fracassou.

Craque: Memphis Depay (extremo invertido)
Miúdo maravilha: Amine Gouiri (ponta de lança)
Orçamento de transferências: € 30 milhões
Orçamento de salários: € 5,2 milhões por mês (€ 219 mil livres)

Ajax

O Ajax é o clube para quem sempre tem fé de que a base vem forte, mas esta é uma edição de Football Manager em que dá para se esbaldar no mercado de transferências também porque o dinheiro das vendas de De Ligt e De Jong está à disposição. O problema, porém, é convencer jogadores a atuar na Holanda e encaixá-los na baixa folha salarial de apenas € 2 milhões por mês.

Por isso, o ideal é ainda ficar de olho na molecada que deve brilhar no futuro. O meia Ryan Gravenberch, 17 anos, é a estrela, mas os zagueiros Perr Schurs e Kik Pierie também se desenvolvem muito bem. E uma base como a do Ajax sempre tem adolescentes que ninguém conhece e, pelo sistema do jogo, gera newgens (jogadores criados pelo jogo para substituir os que se aposentaram) de primeira linha.

Entre os jogadores mais estabelecidos, os destaques são Dusan Tadic, capaz de jogar muito bem em três posições, e Hakim Ziyech, sempre uma excelente opção barata se você estiver em outro clube que não o Ajax e ainda mais barata se você estiver no próprio Ajax. Nicolás Tagliafico parece ser um grande lateral esquerdo, e Donny van de Beek é um jogador completo, competente em quase todos os atributos.

Ainda há uma legião de coadjuvantes interessantes que você pode administrar, colocando no time ou aproveitando boas propostas para reinvestir o dinheiro em uma nova garotada. Edson Alvárez parece ter futuro, assim como David Neres e Lisandro Martínez.

O Ajax é, no geral, um time muito bom para o padrão holandês e não deve ser difícil conquistar os títulos nacionais. A grande questão é conseguir torná-lo também uma ameaça em palcos europeus, como fez Erik ten Hag.

Craque: Dusan Tadic (construtor de jogo avançado)
Miúdo maravilha: Ryan Gravenberch (construtor de jogo avançado)
Orçamento de transferências: € 30 milhões
Orçamento de salários: € 5,2 milhões por mês (€ 219 mil livres)

Sporting

Portugal tem três clubes grandes, mas faz quase 20 anos que apenas dois deles conquistam o título português. O Sporting não é campeão nacional desde 2001/02. O essencial para quebrar o jejum é tentar segurar Bruno Fernandes o máximo que for possível e montar um bom time em torno dele.

O português pode atuar em duas posições naturalmente: como mezzala na altura do meio-campo ou como médio ofensivo atrás do atacante. Ele oferece uma certa variação tática, mas uma boa estratégia é sempre deixar seu melhor jogador na posição que ele se sente mais confortável e encaixar o resto.

O resto não é excelente, mas segura a bronca. Jérémy Mathieu e Sebastián Coates podem fazer uma boa dupla de zaga pelo menos na primeira temporada. O elenco tem incríveis seis laterais direitos. Dois estão emprestados, então o elenco segue com incríveis quatro laterais direitos e você pode querer vender alguns deles para contratar outro para a esquerda, que conta apenas com Cristián Borja, que não parece ser muito bom.

O brasileiro Wendel lidera o meio-campo como uma grande promessa para o futuro e ainda há Marcus Acuña, Jesé e Yannick Bolasie para apoiar Bruno Fernandes, além de Luciano Vietto, que já foi um excelente jogador no Football Manager.

O orçamento de transferências é baixo, assim como a folha salarial, mas o elenco tem mais jogadores do que o necessário para uma temporada em Portugal. Vale analisar quais oferecem um bom custo benefício de venda e reinvestir bem a grana no mercado sul-americano, como os clubes portugueses costumam fazer.

Craque: Bruno Fernandes (mezzala e médio ofensivo)
Miúdo maravilha: Wendel (construtor de jogo avançado)
Orçamento de transferências: € 2 milhões
Orçamento de salários: € 2,5 milhões por mês (€ 114 mil livres)

Athletico Paranaense

O Athletico Paranaense é grande? Tanto faz. O importante é que você pode torná-lo gigante se fizer um bom trabalho. O elenco é bem interessante para os padrões do futebol brasileiro, misturando jovens de potencial com veteranos bem competentes.

A estrela da companhia é Bruno Guimarães, um médio área-a-área com potencial de ser craque, e bons números em quase todos os atributos. Destaca-se pelo passe (16) e pela bravura (17). Com Mattheus Rossetto, Léo Cittadini, Lucho González e Wellington, o meio-campo é um setor muito bem servido ao Furacão.

A defesa talvez precise de um pouco de atenção. A lateral direita está bem coberta com a dupla Jonathan e Khellven, que já parte com bons atributos e tem bastante potencial. A esquerda tem os veteranos Adriano e Márcio Azevedo, que seguram a barra por uma ou duas temporadas, mas vale já colocar olheiros em busca de um novo jogador para o futuro.

Léo Pereira é o melhor zagueiro, mas os seus companheiros não passam muita confiança. Róbson Bambu pode evoluir, mas seria interessante gastar um pouco do orçamento para reforçar essa posição. O ataque tem bastante qualidade, especialmente em Rony e Vitinho, uma boa promessa para o futuro. Mas a maioria dos jogadores está emprestada, com contrato apenas até o fim de 2019.

Craque: Bruno Guimarães (médio área-a-área)
Miúdo maravilha: Khellven (ala)
Orçamento de transferências: € 4,3 milhões
Orçamento de salários: € 1,3 milhões por mês (€ 188 mil livres)