O estádio Anoeta é um lugar onde o Barcelona costuma ter a sua vida bastante complicada no Campeonato Espanhol. É um dos lugares onde o clube da Catalunha mais perdeu do que ganhou (32 vitórias da Real Sociedad, 30 empates e 25 vitórias do Barcelona). Nos últimos dois jogos por lá, porém, o Barcelona já tinha vencido, com direito a um 4 a 2 de virada na temporada passada. Desta vez, outra vitória, novamente muito difícil, de virada, por 2 a 1.

LEIA TAMBÉM: Guardiola: “Cruyff não me convenceu, eu me apaixonei por aquilo que ele fazia”

Só que a Real Sociedad foi quem saiu na frente e com um golaço. Aritz Elustondo pegou um rebote depois de cobrança de falta, dominou e chutou forte, bonito, para vencer o goleiro Marc-André Ter Stegen, aos 12 minutos do primeiro tempo. Os catalães sofriam, em uma situação que ficou assim a maior parte do primeiro tempo.

No segundo tempo, a Real Sociedad seguia sendo perigosa e criou chances para ampliar o placar. Logo depois de perder uma chance de gol, a Real Sociedad foi punida de forma dramática: o gol de empate. Depois de um cruzamento para a área, Piqué cabeceou, o goleiro tentou socar a bola, que ficou pipocando na área e Luis Suárez encheu o pé para estufar a rede: 1 a 1, aos 18 minutos.

Não demorou para chegar a virada. Desta vez, em um escanteio cobrado por Lionel Messi do lado direito, o goleiro Gerónimo Rulli novamente afastou mal a bola, que desta vez sobrou no meio da área para Ousmane Dembélé. O atacante chutou de pé esquerdo e marcou: 2 a 1, aos 21 minutos. O jogo, porém, manteve-se aberto. A Real Sociedad criou ao menos duas ótimas chances de empatar o jogo – uma delas com o jogador impedido, mas que acabou perdendo o gol de qualquer jeito.

No final, uma vitória importante para o Barcelona manter os 100% de aproveitamento. Foram quatro jogos até aqui no Campeonato Espanhol e quatro vitórias. Mais do que os resultados, o desempenho tem sido algo a se destacar. Dembélé, agora livre de lesões, tem sido um jogador bastante importante no ataque do time. Não por acaso tem sido titular, apesar da contratação do brasileiro Malcom, que é mais uma opção no banco de reservas.

No posicionamento médio, Messi, embora seja ponta direita inicialmente, acaba recuando para ser um armador pelo meio. Suárez segue um pouco mais à frente e Dembélé fica aberto pelo lado esquerdo. Com isso, abre-se o corredor no lado direito, que acabou nem sendo muito explorado na partida por Nelson Semedo ou mesmo por Sergi Roberto, que atuaram por ali – o primeiro na lateral, o segundo no meio-campo.

O Barcelona vai mostrando boas armas em campo. Nesta partida sequer contou com Sergio Busquets, poupado depois de atuar na data Fifa. Quem jogou como primeiro jogador de marcação no meio-campo foi Ivan Rakitic, que já fez a função outras vezes. Ele, ao lado de Sergi Roberto, protegeu mais a zaga, enquanto Rafinha, outro titular nesta partida, teve liberdade para armar mais o jogo e chegar um pouco mais à frente. Foi o ponto negativo do jogo: nem Sergi Roberto nem Rafinha aproveitaram bem a chance.

O Barcelona estreia na Champions League nesta semana, na terça-feira, contra o PSV em pleno Camp Nou. Philippe Coutinho e Busquets, que entraram durante o jogo, devem ser titular do time.