“Leio na Folha de hoje que o São Paulo sempre ganhou seu segundo jogo na Libertadores. Pois hoje é bom ganhar, se não a situação vai começar a ficar tensa no Morumbi.

Ao contrário do Palmeiras, o São Paulo tem elenco para montar dois times bons. Ao contrário de 2007 e 2008, a equipe manteve toda sua base, não perdeu nenhum jogador importante. E ainda se reforçou bastante. Ou seja: não há desculpa para o São Paulo não estar se acertando.

A chegada de Washington, ao contrário da de Adriano, não deveria mudar a forma de a equipe jogar. O atacante, pra começar, nem deveria ser escalado em todos os jogos, já que não tem mais idade para decidir toda semana. Deveria, portanto, estar sendo guardado para os momentos decisivos, e o treinador já deveria ter explicado isso para ele – o que impediria que ficasse irritado como tem ficado com as próprias atuações.

É perfeitamente compreensível que o treinador queira testar as possibilidades da equipe, maas não é compreensível que ele deixe de jogar com o time e com o esquema que estavam funcionando. É evidente que é muito mais fácil um jogador se inserir em um esquema que funciona do que variar ao extremo os esquemas até achar um que d~e certo.

Além disso, passou da hora de Muricy dizer a Washinton que ele não foi contratado para ser artilheiro do Paulista, que esse tipo de marca pode ser importante para o Pedrão, mas não para o São Paulo. E que ele vai jogar pouco, e fazer poucos, mas importantes gols. Enquanto não se fizer isso, vai continuar a disputa estúpida com Borges – sendo que é evidente que os dois são a dupla para os momentos decisivos.”

Atualização de sexta: não só o São Paulo ganhou como Washington brilhou, em uma jogada comm habilidade, em outra, com velocidade. Ou o America de Cali é incrivelmente ruim ou Muricy Ramalho já andou tendo suas conversinhas.