Tão logo foi divulgada a decisão do TAS de reverter a decisão da Uefa de excluir o Manchester City de competições europeias por duas temporadas, Javier Tebas, presidente de La Liga, foi um dos primeiros a reagir com críticas à deliberação do tribunal. Pep Guardiola, técnico dos Cityzens, respondeu ao dirigente, afirmando que ele estava com inveja da Premier League e do futebol inglês. A tréplica veio forte do lado de Tebas: “Esses clubes-estado fazem o que querem”.

Em entrevista à ESPN na quarta-feira (15), Tebas afirmou que os atores do futebol tiveram uma sensação de justiça quando o City foi inicialmente punido pela Uefa, já que “todos sabemos o que o Manchester City fez”.

“Quando eles foram punidos, não houve nenhuma surpresa para a maioria de nós que estamos envolvidos no futebol. Não que as pessoas estivessem felizes, mas havia uma sensação de justiça sendo feita contra esses grandes clubes-estado, o outro sendo o Paris Saint-Germain. Por outro lado, quando o TAS anulou a decisão, houve protestos, de Klopp e Mourinho, porque todos sabemos que eles tentam encontrar um jeito de contornar as regras do Fair Play Financeiro. Como disse o Klopp, foi um dia ruim para o futebol.”

Após os primeiros comentários de Tebas sobre o assunto, Guardiola ironizou o presidente de La Liga: “Ele é um especialista jurídico incrível. Na próxima vez, perguntaremos a ele qual tribunal deveria nos julgar”. O técnico então defendeu que o City estará na próxima Liga dos Campeões por mérito próprio e por ter feito as coisas certas. “Com esse tipo de pessoa, quando é bom para eles, está perfeito, mas se é contra eles, é um problema. Estaremos na Champions League na próxima temporada, sr. Tebas. O que fizemos, fizemos apropriadamente.”

O dirigente, por sua vez, tem visão completamente contrária e não se desculpa com o treinador, como este havia pedido. “O Manchester City estará na Liga dos Campeões na próxima temporada porque o TAS fez algo errado, não porque o City fez as coisas da maneira certa. Eu gostaria de ver o julgamento final do TAS. Quando ele sair e eu ler, eu direi a Guardiola aquilo de que estou convencido, que eles não fizeram as coisas corretamente. O TAS errou.”

Mesmo fora do atual imbróglio, ainda que tenha sido também absolvido por tecnicalidade em 2019, o PSG foi outro alvo de Tebas, que acredita que clubes-estado estão prejudicando o futebol europeu.