A menos de um mês do início da janela de transferências de inverno no futebol europeu, o Chelsea recebeu uma grande notícia. O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), depois de receber a apelação do clube, diminuiu pela metade a punição que os Blues haviam sofrido por parte da Fifa. Agora, o time de Londres está liberado para contratar já em janeiro de 2020.

A punição original da Fifa impedia o clube de contratar por duas janelas: a passada, de verão, e a de inverno, no próximo mês. A decisão incluía ainda uma multa de £ 920 mil. Depois de analisar o caso, o TAS diminuiu tanto a proibição quanto a multa pela metade, para uma janela de transferência e £ 460 mil.

A Fifa havia anunciado em fevereiro deste ano a condenação ao clube depois de uma longa investigação que mostrava como o Chelsea contratava e registrava jogadores em suas categorias de base.

O Guardian revelou que a Fifa havia investigado mais de 100 casos de jogadores no Chelsea. A entidade acusou o clube de 92 violações de seu artigo 19, que estipula que transferências internacionais de jogadores só podem ser feitas com atletas com mais de 18 anos, considerando-o culpado em 29 casos.

O TAS entendeu que o Chelsea violou o artigo 19 em apenas um terço dos casos indicados pela Fifa. Entendeu também que as outras violações eram menos sérias do que descritas pela Fifa. Em 2016, o Real Madrid também teve uma pena de duas janelas de transferências sem contratações diminuída pela metade pelo TAS.

O Chelsea foi à instância máxima do esporte depois de ter sua apelação recusada por um comitê da Fifa. O clube havia aceitado ter violado as regras de contratação de menores, mas havia se declarado inocente de outras denúncias, e uma reunião recente de advogados dos Blues tinha encaminhado a defesa de por que tais denúncias deveriam ser desconsideradas. A estratégia, como podemos ver agora, deu certo.

Com a liberação para contratações, podemos especular quais devem ser as posições a receberem maior atenção de Frank Lampard. A zaga precisa de reforços, assim como a lateral esquerda, hoje ocupada por Emerson Palmieri e às vezes Azpilicueta. No ataque, um centroavante pode ser necessário, com a possibilidade de Giroud buscar um novo clube já no próximo mês para poder ter minutos em campo antes da Euro 2020.

Será interessante ver como se desenvolve o Chelsea de Lampard a partir de 2020. Com as restrições, o técnico apostou na base, colheu frutos imediatos, especialmente com Mason Mount e Tammy Abraham, e é o quarto colocado da Premier League. Tendo um orçamento para complementar o elenco de jovens com nomes experientes, podemos ver um time ainda mais redondo no Stamford Bridge.