A Fifa divulgou a lista dos 11 técnicos indicados a melhor do ano, no seu prêmio The Best, e a Copa do Mundo teve um grande peso. O técnico da Rússia, Stanislav Cherchesov, está na lista. Havia o temor que a Rússia fosse eliminada na fase de grupos, mas o time avançou, passou pela Espanha nas oitavas de final e só caiu diante da Croácia, nas quartas, nos pênaltis. O treinador consegue a melhor campanha da Rússia na história das Copas, após o término da União Soviética, em 1991.

LEIA TAMBÉM: Vadão está na lista de melhores técnicos do ano no futebol feminino no prêmio The Best

Os quatro técnicos semifinalistas estão na lista. O campeão, Didier Deschamps, da França, é um deles. No comando da França desde 2012, ele foi às quartas de final da Copa em 2014, chegou à final da Eurocopa em 2016, mas perdeu, e finalmente conseguiu um título na Copa do Mundo de 2018. O treinador tem contrato até 2020, ano da próxima Eurocopa.

O técnico da seleção vice-campeã, Zlatko Dalic, da Croácia, também está indicado. Ele assumiu o comando dos croatas no dia 7 de outubro, classificou a seleção à Copa do Mundo e fez a histórica campanha que parou na final, ao ser derrotada pela França. O treinador tinha feito uma carreira no Oriente Médio e em clubes menores da Croácia, mas com essa campanha pela Croácia consegue alçar o seu nome em um patamar bem mais alto.

O espanhol Roberto Martínez é outro que está na lista, como técnico da Bélgica. O seu trabalho levando o time à semifinal, onde caiu diante da França, e depois conseguindo o terceiro lugar, foi reconhecido. Com bons trabalhos na Inglaterra, mas que vinha em baixa depois da saída do Everton, o espanhol conseguiu fazer um ótimo trabalho pelos belgas. O jogo nas quartas de final, contra o Brasil, teve a assinatura do técnico, que conseguiu surpreender Tite e marcou dois gols que acabaram sendo cruciais para a vitória.

Quartas colocada na Copa do Mundo, a Inglaterra também teve o seu técnico indicado. Gareth Southgate surpreendeu indo com os ingleses até a semifinal e caindo diante da Croácia, na semifinal. Não se esperava que os ingleses fossem muito longe no mata-mata, mas o time acabou dando um pouco de sorte com um caminho aberto. Passou pela Colômbia nos pênaltis, acabando com um trauma, e depois pela Suécia. Os ingleses deixam a Rússia esperançosos de conseguirem ir além nas próximas competições, a começar pela Eurocopa, em 2020.

Além dos técnicos de seleção, alguns técnicos de clube que sempre aparecem marcaram presença na lista. Zinedine Zidane, técnico do Real Madrid que ganhou, mais uma vez, a Champions League, é finalista. O seu adversário na final, Jürgen Klopp, do Liverpool, também está na lista. Além dos dois, o técnico da Juventus, Massimiliano Allegri, campeão italiano mais uma vez, aparece junto a Pep Guardiola, campeão inglês pelo Manchester City, e Ernesto Valverde, campeão espanhol pelo Barcelona. Por fim, fecha a lista o técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, campeão da Liga Europa, vice-campeão espanhol.

A votação tem três pesos. Um deles será dado pelo público, que pode votar no seu preferido pela internet. Outro é dado pelos técnicos e capitães. Por fim, os jornalistas fecham o terceiro item de votos. A cerimônia de premiação será no dia 24 de setembro, em Londres.

Massimiliano Allegri (ITA) – Juventus
Stanislav Cherchesov (RUS) – Russia national team
Zlatko Dalic (CRO) – Croatia national team
Didier Deschamps (FRA) – France national team
Pep Guardiola (ESP) – Manchester City
Jurgen Klopp (ALE) – Liverpool
Roberto Martinez (ESP) – Belgium national team
Diego Simeone (ARG) – Atletico Madrid
Gareth Southgate (ING) – England national team
Ernesto Valverde (ESP) – Barcelona
Zinedine Zidane (FRA) – Real Madrid


Os comentários estão desativados.