A temporada japonesa teve o seu primeiro jogo neste sábado e reuniu os dois campeões do país. O Vissel Kobe, de Andrés Iniesta, campeão da Copa do Imperador, enfrentou o Yokohama Marinos, do zagueiro Thiago Martins, campeão da J-League. Em um jogo que houve destaques individuais, com o próprio Iniesta fazendo um bom jogo e os brasileiros do Marinos também, o que mais chamou a atenção foi o depois. O empate por 3 a 3 levou a disputa para os pênaltis. Uma sequência incrível de nove penalidades seguidas foram perdidas, até que o Vissel Kobe, enfim, marcasse e vencesse a disputa.

O jogo foi disputado no Saitama Stadium, com público de 51.397 pessoas. E foi uma loucura desde o começo. Os dois times estavam um bom tempo sem jogar. A última partida do Vissel Kobe foi justamente a final da Copa do Imperador, no dia 1º de janeiro. O Yokohama Marinos jogou há ainda mais tempo. O Seu último jogo foi no dia 7 de dezembro, a última partida da J-League.

O primeiro gol saiu dos pés de Iniesta. Bom, ele não empurrou a bola para a rede, mas fez um belo passe para o brasileiro Douglas marcar 1 a 0, aos 27 minutos. Douglas é novo contratado do time, depois de ter feito 14 gols pelo Shimizu S-Pulse na temporada passada. O gol de empate, porém, saiu pouco depois.

Aos 35 minutos, em um lance muito confuso e com o Vissel Kobe defendendo mal, Marcos Júnior fazia a jogada, a defesa tentou o corte em um carrinho, a bola sobrou para Teruhito Nakagawa, melhor jogador da última J-League, que dividiu com o goleiro. A bola sobrou, pelo alto, e Marcos Júnior chegou tocando de cabeça, com o gol vazio, para marcar: 1 a 1.

O segundo gol do jogo viria em uma bobeira imensa do zagueiro Thiago Martins, ex-Palmeiras. O goleiro Park Il-Gyu saiu jogando com o brasileiro, que tentou devolver, mas passou mal a bola. Kyogo Furuhashi interceptou e, com o goleiro fora do gol, só tocou, de leve, para o gol: 2 a 1, aos 40 minutos.

O empate viria no segundo tempo. O brasileiro Erik, ex-Palmeiras, recebeu dentro da área e tocou para o meio. Takahiro Ogihara completou para o gol para marcar: 2 a 2, aos 14 minutos da etapa final. Só que o Vissel Kobe voltaria a ficar à frente no placar. Aos 24 minutos, Hotaru Yamagushi abriu na direita para Iniesta, que fez o cruzamento rasteiro para a área. A defesa até conseguiu interceptar, mas a bola sobrou atrás para o próprio Yamagushi finalizar forte: 3 a 2 para Kobe.

Só que o empate também não demoraria. Aos 28 minutos, Teruhito Nakagawa fez a inversão, Keita Endo recebeu dentro da área e tocou para o meio. Erik desta vez foi quem colocou a bola na rede e empatou o jogo em 3 a 3. Havia tempo para mais gols, mas não aconteceu. À medida que o tempo passou, os dois times pareceram se conformar com o empate. A disputa foi mesmo para os pênaltis.

Thiago Martins, Iniesta, Takahiro Ogihara e Junya Tanaka cobraram os quatro primeiros pênaltis e com precisão. Todos marcaram seus gols. Foi quando começou o show de horrores. Edigar Junio, Keijiro Ogawa, Kota Mizunuma, Daigo Nishi, Ken Matsubara, Leo Osaki, Takuya Wada, Thomas Vermaelen e Keita Endo perderam suas penalidades, consecutivamente. Foi quando Hotaru Yamagushi cobrou, marcou e deu o título ao Vissel Kobe, 3 a 2 na disputa.

“Foi um bom comercial para o futebol japonês. Eu espero que os torcedores tenham aproveitado. Eu nunca vi uma disputa de pênaltis assim”, declarou o técnico do Vissel Kobe, o alemão Thorsten Fink. “É ótimo ganhar um título e se você olhar a partida, os dois times lutaram muito. Nós mostramos que estávamos focados em vencer o título e estou feliz por isso”.

Depois de 25 anos de existência sem nunca ter conquistado o título, o Vissel Kobe consegue seus dois primeiros com um intervalo de menos de dois meses – até porque um depende do outro, claro. Os dois times estão em fase de preparação para a temporada da J-League, que começa no dia 21 de fevereiro.