Süle decide com um golaço e deixa o Hoffenheim ainda mais próximo da Champions

Zagueiro decretou a vitória sobre o Hertha Berlim em pleno Estádio Olímpico, que vale demais na briga pela competição continental

Niklas Süle não permanecerá no Hoffenheim para a próxima temporada, já negociado com o Bayern de Munique. No entanto, vem se esforçando para colocar o clube que defende há sete anos na Liga dos Campeões. Os alviazuis vivem bom momento neste início de segundo turno e chegaram ao sexto jogo de invencibilidade na Bundesliga. Para tanto, conquistaram uma vitória importantíssima nesta sexta, contra um dos principais adversários pelo G-4, o Hertha Berlim. Em pleno Estádio Olímpico, o time de Julian Nagelsmann ganhou por 3 a 1. Süle foi fundamental para o resultado, acertando um chutaço que virou a partida aos visitantes.

A torcida do Hertha pôde comemorar aos 32 minutos, quando Peter Pekarík abriu o placar ao time da casa. Sete minutos depois, contudo, Andrej Kramaric já buscou o empate para o Hoffenheim. E a situação ficaria um bocado difícil aos berlinenses no início do segundo tempo, depois que Maximilian Mittelstädt foi expulso. Então, os alviazuis, que já eram bem mais ofensivos na partida, passaram a bombardear a meta adversária. Chegaram a carimbar a trave três vezes, duas na sequência de um mesmo lance. Até Süle resolver aos 31. O chutaço do zagueiro também triscou no travessão, mas como um beijo carinhoso, para coroar o golaço. No final, Kramaric fechou a conta.

Com a vitória, o Hoffenheim assume provisoriamente a terceira colocação, a um ponto do cambaleante RB Leipzig, embora possa ser ultrapassado pelo Borussia Dortmund ao término da rodada. Mais importante, contudo, é a folga que os alviazuis possuem na zona de classificação da Champions. Na pior das hipóteses, serão dois times oito pontos atrás – o próprio Hertha Berlim e o Colônia, caso vença o Hamburgo. Só um desastre evita a estreia do time de Dietmar Hopp na Champions. Méritos, principalmente, de Julian Nagelsmann, que assumiu uma equipe ameaçada pelo rebaixamento e deve colocá-la na elite da Europa.