Na base do sofrimento, o Corinthians volta do estádio George Capwell com o empate diante do Emelec, no jogo de ida pelas oitavas de final da Libertadores. Com um jogador a menos durante quase todo o segundo tempo, os alvinegros viram os Electricos avançarem, mas contaram com uma atuação segura do goleiro Cássio para segurar o 0 a 0. O Pacaembu recebe o segundo jogo na próxima quarta-feira e os equatorianos levam consigo a vantagem do empate com gols.

A atmosfera em Guayaquil não intimidou o Corinthians, que apresentou um jogo mais ofensivo nos primeiros minutos da partida. As investidas dos alvinegros, porém, eram limitadas a bolas alçadas à área e não criavam muito perigo ao gol dos Electricos. Somente a partir dos 15 minutos é que o Emelec passou a se soltar um pouco mais em campo, mantendo maior posse de bola, embora não tivesse muita criatividade na construção das jogadas.

Errando muitos passes na saída para o ataque, os corintianos só chegaram com perigo aos 35 minutos, em chute cruzado de Emerson que passou ao lado da trave. Do outro lado, os equatorianos ameaçaram em sequência de cruzamentos que não encontraram nenhum atacante capaz de concluir a gol.

O Emelec voltou com uma postura bem mais contundente para o segundo tempo. Já aos três minutos os equatorianos quase abriram o placar. Fernando Giménez cobrou falta em direção à área e Gabriel Achilier desviou de cabeça, para grande defesa de Cássio. Três minutos depois, o Corinthians respondeu em contra-ataque puxado por Emerson, que só parou nas mãos de Esteban Dreer.

Na sequência de seu melhor lance na partida, no entanto, os alvinegros veriam sua sorte mudar. Jorge Henrique parou a saída de bola dos equatorianos e recebeu seu segundo cartão amarelo na partida, sendo expulso. Depois disso, o time da casa passou a pressionar ainda mais. Aos 17, Enner Valencia cobrou falta frontal e seu chute só parou no travessão.

Timidamente, os corintianos passaram a se soltar um pouco mais a partir dos 20 minutos, mas apresentavam sérios problemas na chegada ao ataque. Alex entrou no lugar de Willian e aumentou a qualidade no passe, mas nada suficiente para alterar o panorama.

Já o Emelec, quando tomava a bola, mantinha o jogo aéreo forte, mesmo com Cássio sendo soberano na maioria das tentativas. Novo perigo só seria criado aos 39, em chute forte de Ángel Mena que Cássio conseguiu espalmar. E, mesmo com o sufoco mantido, o Corinthians conseguiu manter o empate até o apito final.