Torcedores, atletas e dirigentes do Central Coast Mariners, fundado em 2004 e que nunca havia sido campeão nacional (três vice-campeonatos), estão comemorando muito o troféu da temporada 2012-13 da A League. Sob o comando do desconhecido técnico escocês Lawrie McKinna, de 51 anos, a equipe teve apenas cinco derrotas em 29 partidas, com destaque para o veterano atacante australiano Daniel McBreen, 35 anos, artilheiro da competição com 17 gols, um deles na grande final, vitória de 2 a 0 sobre o estreante Western Sydney Wanderers.

O elenco do Central Coast Mariners também contou com outra peça importante, o maltês John Hutchinson (capitão da equipe), de 33 anos, que marcou apenas um gol em 25 jogos, mas é o sexto atleta com mais partidas na primeira divisão, com 175 aparições, contra 203 do australiano Matt Thompson, líder no quesito. Outro velhinho é o zagueiro holandês Patrick Zwaanswijk, 38 anos, duas vezes campeão da Copa da Holanda pelo FC Utrecht, outro a marcar na final.

Pode-se dizer que o resultado dentro de campo foi muito acima do esperado, pois ao final da temporada 2011-12, os Mariners perderam o grande destaque do time. Mustafa Amini, de 20 anos, nascido em Sydney, mas descendente de afegãos por parte de pai e nicaraguenses por parte de mãe, provou que tem grande futuro pela frente, ao fazer duas ótimas temporadas pelo clube. Ele acabou negociado com o Borussia Dortmund em 2010-11 e reemprestado ao clube na temporada seguinte – em julho de 2012, Amini seguiu para a Alemanha, onde vem atuando pelo time B.

Números

Apesar do inédito título do Central Coast Mariners, este troféu parece pequeno diante de um fato que engloba a principal competição do futebol australiano. Criada em 2005-06, a A League vem crescendo em atrativos para jogadores e torcedores, que estão respondendo muito bem às contratações de estrelas internacionais, como a do veterano atacante Del Piero, pelo Sydney.

A título de comparação, a primeira temporada do torneio levou aos estádios 1,074 milhão de pessoas. Sete anos depois, os australianos comemoram o dado de 1,772 milhão de torcedores (média de 12.658 por jogo), crescimento de 64% no número de espectadores nas arquibancadas desde o início, mais de 200 mil acima do resultado de 2011-12.

Outro ponto importante diz respeito aos direitos de transmissão. Até 19 de novembro de 2012, o único canal que passava os jogos da A League, bem como os da seleção nacional, era o Fox Sports, que atingia apenas 7% dos lares australianos. Para 2013-14, a rede SBS firmou acordo de $160 milhões por quatro anos, prova de que vale a pena investir no futebol nacional. Além da Austrália, têm direito de televisionar as partidas Nova Zelândia, Canadá, Hong Kong, Itália, Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos.

Dentro de campo, cada time tem pelo menos um estrangeiro, mas a maioria conta com três forasteiros, do total de cinco permitidos – sem contar os estrangeiros que ganharam residência no país, como o lateral-esquerdo brasileiro Cássio, ex-Inter, Flamengo e Santa Cruz. Além de Del Piero, o veterano atacante inglês Emile Heskey, 35, que jogou 23 vezes pelo Newcastle Jets, com nove gols, abrilhanta o cenário local, num caminho cujo objetivo é elevar o nível do futebol australiano.

Curtas

– Cássio, de 33 anos, joga na Austrália desde 2007-08 e já acumula 9.946 minutos em campo (165 horas), com 121 jogos disputados, 113 como titular. Cássio só defendeu o Adelaide United no país e é o brasileiro com mais partidas na liga australiana. No quesito rede balançada, quem manda é o atacante Reinaldo, de 28 anos, revelado no América Mineiro e atualmente no Operário Ferroviário, do Paraná. O atleta jogou pelo Brisbane Roar entre 2005-06 e 2010-11, marcando 25 vezes em 92 partidas, em 6.538 minutos.

– Mesmo com apenas uma temporada na Austrália, Del Piero, que não começou muito bem, já assegura alguns marcos importantes. Ele anotou quatro gols num só jogo, na goleada de 7 a 1 do Sydney sobre o Wellington Phoenix, perdendo apenas para Archie Thompson, que em 2007 baçançou cinco vezes as redes do Adelaide United, na vitória de 6 a 0 do Melbourne Victory. No total, Del Piero fez 14 gols em 24 jogos, média de 0.583, a quarta melhor da história da A League.

– A mais alta média de público em 2012-13 coube ao Melbourne Victory (21.953 torcedores por jogo), vantagem de cerca de três mil pessoas para o Sydney (18.637). O pior público num jogo ficou por conta dos neozelandezes do Wellington Phoenix, cerca de três mil pessoas, na 23ª rodada da primeira fase, vitória de 1 a 0 sobre o Melbourne Heart. Na história, a partida com maior presença de torcida ocorreu na final de 2006-07, quando 55.436 pessoas assistiram à goleada de 6 a 0 do Melbourne Victory sobre o Adelaide United. Por outro lado, apenas 1.003 torcedores acompanharam a derrota de 2 a 1 do North Queeland Fury para o Brisbane Roar, na 26ª rodada da primeira fase de 2010-11.

– Com apenas 21 anos, o atacante Eli Babajl, nascido na Bósnia Herzegovina, mas desde pequeno residente na Austrália, acaba de ser lançado ao exterior. Ele foi contratado pelo AZ Alkmaar (Holanda), uma boa oportunidade para que o atleta possa melhorar e ajudar a seleção australiana, pela qual tem dois jogos.

– Você provavelmente nunca ouviu falar em Guilherme Finkler, brasileiro revelado no Juventude, em 2005. Após passar por vários clubes gaúchos, o atleta de 27 anos apareceu no Melbourne Victory, sendo o campeão de assistências em 2012-13, com nove passes para gol.

– Central Coast Mariners, Western Sydney Wanderers e Melbourne Victory serão os representantes da Austrália na Liga dos Campeões da Ásia 2014. Na atual temporada, o país apresenta desempenho regular. O Brisbane Roar foi eliminado pelo Buriram (Tailândia) na fase preliminar, enquanto o Central Coast Mariners briga para alcançar as oitavas de final, estando em segundo lugar, dois pontos à frente do Guizhou Renhe (China), a uma rodada do fim.