O presidente da Football Association (FA), David Bernstein, deu entrevista coletiva nesta quinta-feira para fala sobre a saída do técnico Fabio Capello do comando da seleção inglesa. O dirigente confirmou que Stuar Pearce, técnico do sub-21 e da seleção olímpica, será o comandante no amistoso contra a Holanda, ainda neste mês.

“Eu gostaria de publicamente agradecer Fabio Capello por todo o trabalho que ele fez. Eu quero enfatizar que durante todo o período que esteve aqui, Capello se comportou com dignidade e honra. Eu sou capaz de dizer que ontem não foi um dia fácil e nós concluímos com um aperto de mão. Qualquer relato de briga não é verdade”, afirmou o presidente da FA.

 

Bernstein explicou ainda porque a diretoria da FA decidiu tirar a faixa de capitão de John Terry, o que acabou sendo o ponto de discórdia com o treinador italiano. “Nós acreditamos que o caso John Terry estaria resolvido até março ou abril. Quando foi adiado, nós fomos pegos de surpresa. A diretoria tomou uma decisão rápida e unânime sobre a faixa de capitão. Nós comunicamos isso ao Fabio antes do anúncio. Fabio não ficou feliz, mas aceitou a decisão da diretoria”, explicou.

“Fabio, então, deu uma entrevista na Itália que causou um debate público e criou uma situação insatisfatória”, disse ainda Bernstein. “Nós tivemos uma reunião detalhada ontem [quarta]. Nós demos por encerrada a reunião e uma hora depois encontrei com Fabio novamente. Naquele momento ele pediu demissão e eu aceitei aquilo em nome da diretoria. Todas as questões foram resolvidas em quatro horas”, disse ainda o dirigente.

Bernstein, então, confirmou Pearce como técnico para o próximo jogo. “Em relação ao futuro, eu tenho prazer em anunciar que Stuart Pearce irá dirigir a Holanda na próxima partida. Ele tem uma grande experiência dentro e fora da organização. Nossa prioridade, então, será escolher um novo treinador da Inglaterra. Nós iremos pegar a melhor pessoa para o cargo assim que pudermos”, disse o presidente da FA.

A preferência, segundo o dirigente, é de um inglês ou britânico, mas não descarta contratar novamente um técnico estrangeiro, desde que seja o melhor possível para o cargo.


Os comentários estão desativados.